12 de jul de 2007

Mister Tumura

Puccini sempre foi um compositor pop, talvez por isso duas de suas operas mereceram adaptações para musicais da Broadway, “La Boheme” virou "Rent" (que já vimos por aqui, antecipando a leva das super-produções) e “Madama Butterfly” (não chore se for capaz!) se transforma em “Miss Saigon” que estréia agora em São Paulo numa versão em português do über adaptador-tradutor Cláudio Botelho.

O espetáculo é lindo, bem produzido, bem realizado, com um ‘ensemble’ do maior nível, atores e cantores ótimos, mas... você precisa antes esquecer a personagem titulo! Sorry, o desequilíbrio em cena é gritante com Lissah Martins interpretando Kim, falta de carisma e um timbre vocal bem feio, para sermos elegantes e encerrarmos o assunto por aqui.

Who cares?

Esqueça a vietnamita e não pisque os olhos com Marcos Tumura (acima, foto by: Reinaldo Marques) comemorando 20 anos de carreira com o papel do Engenheiro! Aliás ele é o protagonista do musical, fique para o segundo ato e me conta depois, ovação seria o termo apropriado para dizer como o publico o recebe ao final do espetáculo! Antes de comprar seu ingresso procure saber na bilheteria se Tumura não será substituído neste dia - prática muito comum entre protagonistas, ele por exemplo tem 2 substitutos! Para não ser injusto com os outros solistas vale destacar Nando Prado (Chris, soldado americano por quem Kim se apaixona) e Mauro Souza (Thuy, o primo que ama Kim) que estão excelentes.

Ah, ia me esquecendo, o famoso efeito do helicóptero pousando na aldeia para resgatar os soldados americanos é uó! Animação de quinta para uma produção tão cara, vale mais pelo som dolby que se espalha pela sala dando um efeito incrível (feito pela brasileira Loudness, é claro, a melhor equipe de sonorização do Brasil!). E eu que tinha visto a montagem inglesa e já tinha achado cafona aquele trambolho descendo do urdimento paguei a língua! Parece que agora todas as montagens serão assim mesmo, tipo virtual.

Se joga: Teatro Abril (av. Brig. Luís Antônio, 411, Bela Vista, região central, tel. 6846-6000). 1.533 lugares. Qua. a sex.: 21h. Sáb.: 17h e 21h. Dom.: 16h e 20h. Em cartaz por tempo indeterminado. 140 min. 12 anos. Ingr.: R$ 65 a R$ 200.

Nenhum comentário: