28 de out de 2007

Declaração de Amor à LOUIS GARREL!

Poderia simplesmente escrever JE T’AIME, me mudar para Paris e começar uma caçada louca em tua procura. Sua sorte é que estou chegando nos 40 e certas loucuras a gente faz aos vinte e depois num outro nível aos 50, então me aguarde mais uns 10 anos! Você provavelmente estará com uns 30 e poucos... huummm.

Te vi pela primeira vez em “Os Sonhadores”, retrato delicado de 68, feito pelo mestre Bertolucci. Que perturbador!
Pouco depois enfrentei mais de 3 horas de “Amantes Constantes”, dirigido pelo seu pai num retrato um pouco mais complexo sobre o mesmo período.

E agora numa sessão dupla saio da Mostra de Cinema hipnotizado com “Em Paris” e “Canções de Amor”! Desço a rua Augusta, desviando de garrafas atiradas das saunas, com a última frase de “Canções...” martelando na minha cabeça:
- “Eu não quero que você me ame tanto, quero que você me ame para sempre!”
Isso dito em cima de uma marquise no maior malho com um garotinho bretão !!!!

Você quer acabar comigo Garrel?

Nenhum comentário: