26 de out de 2007

Sobreviveremos!

Dei um tempo na Mostra e me joguei no show do "Antony and the Johnsons" no Tim Festival! Waall, vamos combinar que o cara tem um mood mais pro sarcástico do que pro deprê! Pelo menos quando ele nos entretem com histórias engraçadas sobre os músicos (com suas aventuras em SP) ou com discursos feministas (tipo, "fale com sua mãe!").
Já quando Antony senta no piano e abre a boca ... humm, meu amigo...

Acompanhado de 4 músicos o show estava mais para um concerto de câmara e antecipo que das músicas conhecidas a mais tocante foi a versão apresentada de "Twilight" (daquele álbum em que na capa ele representa uma espécie de Iemanjá Hare Krisna).
O momento, sem dúvida, mais surpreendente foi sua interpretação beeeeeeeemmm particular de "I Will Survive"!!!
Pasmem, vocês nunca ouviram(ão) nada parecido!
...

Bom, antes teve também a maluca da Cat Power num momento, vamos dizer, um pouco "quimicamente alterada" (do you know what I mean?).
A queridinha instituiu uma postura cênica que mistura um quê de Mick Jagger (sempre com as mãos no quadril, lembram-se?) com outro tanto de mãe-de-santo!

Cantava para as caixas de retorno (beeemmm lôka!) e vivia entrando na coxia pedindo som mais alto. Mas o produto que ela aspirou era do bem (ao contrário do da Macy Gray, quando veio pra cá!) e ela fez a fofa, mas, claro tinha aquela atitude nonchalance que a gente já conhece dos roqueiros! Ai que preguiça...
...

Ah, teve uma apresentação antes dela também, foi o... aquele cara, o... ah, deixa pra lá!

...

Coisinhas chatas:
- a iluminação do Antony! Gosh, please me contrata que eu até emagreço a bee!
-
uma bitch que roubou da mão de um groupie o set list que a Cat deu pra platéia no final.
- se minha avó viva fosse eu a apresentaria para o Toni Platão. Ela lhe ensinaria que as vezes é preciso dizer não para algumas oportunidades que a vida nos oferece! Falei.
- o bis para o Toni, puxado APENAS pela sua entourage, tipo Monique Gardenberg (que passou boa parte do show do Antony falando no celular!), Debora Colker (sua mulher, a única que cantava tudo e que foi sentar nas escadas no show do Antony e começou a praticar um alongamento básico! Estranha...)
- alguém pode me dizer quem teve a infeliz idéia de colocar o Zuza Homem de Mello narrando antes de cada atração? O melhor foi Cat, a lôka, dublando a narração que falava dela mesma. Impagável!

Curiosidade:
- Afinal, que karai tinha naquela bolsa que o Antony carregava?

Nenhum comentário: