30 de nov de 2007

Mala educación


Boa, mas muito boa mesmo a Sabatina da
"Folha" com a psicóloga e educadora Rosely Sayão.
Em resumo:
não tem como piorar! A escola acabou virando uma extensão da casa de seus alunos, perdendo a função de educar para a vida pública.


Alguns trechos:
- Professores e pais pensam e agem de maneira muito semelhante.
- A partir dos anos 90, a escola começou a anunciar que ela era a segunda casa (...) A função da escola é fazer a passagem da vida privada para a vida pública.
- A vida pública é cada vez mais privada, jovens adultos evitando o contato das pessoas nas ruas.

- Os pais ensinam os filhos que eles têm muitos direitos e poucos deveres.

- A função dos pais não é entrar nos segredos dos filhos. Aliás tem coisas que é melhor não saber mesmo.

- O jovem vê a sexualidade como performance corporal (...) não é mais o contato de proximidade de intimidade com uma pessoa.
- Cresce o número de jovens que querem entrar na faculdade e depois não sabem o que fazer (...) É mais difícil viver hoje porque não há adultos que estimulem essa visão crítica do jovem.
- Criança não precisa de limite, precisa é de adulto (...) Nós é que não exercemos bem nosso papel.
...

Pena que o vídeo da palestra está disponível apenas para assinantes, vale a pena dar uma olhada. Se você não assina pode dar uma lida no Blog da moça e acompanhar a nossa decadência diariamente.
Vê lá: http://blogdaroselysayao.blog.uol.com.br/

29 de nov de 2007

Marc Quinn não é MacQueen, viu!

A Foundation for Contemporary Art, em Montreal, está com a primeira exposição individual do artista plástico inglês Marc Quinn. A primeira vez que ouvi falar do cara foi na mesma época que também ouvi falar do também inglês Damian Hirst, aquele que põe os bichos no formal e os corta em pedacinhos, as associações com escatologia e a mistura da ciência com a arte sempre foi a ligação entre ambos.
Marc Quinn foi um pouco mais à frente na sua pesquisa usando fotografias digitalmente modificadas e explorando a 'mortalidade' com mais morbidez.
Se você está de viagem marcada para o Canadá, vai lá, fica até janeiro de 2008, depois me traz o catálogo porque aqui não tem café de graça né!

Crash!

Estou simplesmente a-d-o-r-a-n-d-o este lance de demolir tudo no Brasil!
Depois da tragédia anunciada na Bahia o governador Jaques Wagner mandou demolir o estádio "Fonte Nova" e construir um novinho em folha, de preferência com arquibancadas que não desabem, pensando na Copa-2014.
Já no Pará, outra tragédia anunciada, com a história da menina na cela com dezenas de homens, a Governadora Ana Júlia determinou a demolição imediata do presídio de Abaetetuba.
Será construído um centro de triagem "com condições adequadas" para receber presos e presas! Huummm...
...
Já que a coisa agora está funcionando assim poderia ser instituído um concurso para escolher um novo arquiteto com novas idéias para Brasília. O que vocês acham?
Colocamos tudo 'na chón' e recomeçamos tudo de novo, zerado, como se nada tivesse acontecido e assim seremos mais felizes!

Viva a Vaia!

O Festival de Cinema de Brasília 'consagrou' Julio Bressane com uma vaia monumental para a sua "Cleópatra"! Monumental também foi a baciada de prêmios que a produção levou, 6 no total incluindo melhor filme e atriz para Alessandra Negrini. Ui! Isso tá parecendo armação da Taís!
Bem, não vi e não gostei, com Bressane parei no clássico de 1969 "Matou a família e foi ao cinema" e tá bom demais. Sua 'inquietação' não me interessa, sua linguagem é ultrapassada e não me desperta nada, tenho preguiça só de ver estas bijouxs de quinta e esse figurino esvoaçante de sua "Cleópatra"! E vamos combinar que só por contracenar com Falabella (e com este modelito) Negrini merecia o Nobel da Paz!

...

Já o Prêmio da Crítica de Melhor Ator para Eucir de Souza em "Meu Mundo em Perigo", também não vi mas já gostei, parece merecidíssimo para esse ator que sempre buscou no teatro (e de uns tempos prá cá no cinema) novos desafios para sua carreira!
Pude dirigí-lo na minha primeira peça profissional e sei do que estou falando, contar com Eucir num elenco é ter a certeza de uma boa parceria!
Parabéns.

Morcegão 2008!

Gosh, santa enrascada Batman!
E não é que o personagem volta com Christian Bale (recentemente em "I'm Not There") e de novo sob direção de Christopher Nolan ("Amnésia"/2000 ainda é a melhor coisa que ele já fez), o chefe de polícia ainda é o temperamental Gary Oldman auxiliado por um promotor público interpretado pelo über blond Aaron Eckhart (o gostoso amante de óperas no também gostoso "Sem Reservas") e surpresa das surpresas atrás desta maquiagem de coringa esconde-se o seu, o meu o nosso brokeback Heath Ledger!
Agora para assistir "The Dark Knight" você tem de esperar até julho do ano que vem, a menos que a 'tecnologia' que antecipou "Tropa de Elite" entre logo em circuito e nos alivie esta tensão, claro!

28 de nov de 2007

Beijo, abraço ou aperto de mão?

O histórico aperto de mãos patrocinado por Clinton, em setembro de 1993 em Washington. Yizhar Rabin (à esquerda) e Yasser Arafat. Esse aperto valeu o Nobel da Paz mas a paz mesmo durou pouco, o terrorismo voltou com tudo e o ressentimento ressurgiu.

O aperto de mãos entre o palestino Mahmoud Abbas (à esquerda) e o israelense Ariel Sharon, pós Arafat (morto em novembro de 2004) em fevereiro de 2005. Promessas de paz e nenhum acordo formal, apenas promessas de parar com as agressões mútuas.

Ehmud Olmert (Premiê Israelense) aperta a mão do Líder Palestino Mahmoud Abbas, no centro Bush que você já conhece. O trio na cúpula de paz para o Oriente Médio, em Annapólis nesta semana de 2007. O 'aperto' deste ano é para tentar criar um Estado Palestino (coisa que todo mundo aceita e concorda), acabar com o terrorismo, libertar os presos palestinos detidos por israelenses e otras cositas mas no varejo.

Do primeiro 'aperto' de 1993 sob o olhar de Clinton até 2008 com Bush no centro das negociações aproximadamente 120 homens-bombas explodiram em Israel, a maioria sob as ordens do Hamas, como se vê o terror age de forma independente e impiedosa.

Quem sabe se os acordos fossem selados com abraços, que podem ser mais 'calorosos' do que apertos de mãos, ou talvez beijos? Pensando bem russos e romanos se beijam desde priscas eras e as coisas não caminharam muito bem não é?
Melhor mesmo é esquecer estes gestos midiáticos, arregaçar as mangas e falar a mesma língua, mas aí colocaremos em cheque toda uma babel literária de conflitos e interesses que escapa a razão humana.

Como dizia Gerald Thomas (em off, of course!) em algum espetáculo perdido no século passado:
- "Está estabelecido o conflito".

E viva nosso último lugar no IDH!!!

Stress com esse mico da tv Digital em São Paulo, que estréia no domingo. Quer saber o que muda pra você? NADA!
Meu celular Nokia N-95 é muito melhor que essa caríssima conversão, e funciona bem, pasmem! Boa coisa é que não dava para esperar desse ministro Hélio Costa né? O cara além de anacrônico continuará analógico para o resto da vida, e não têm conversor que dê jeito!
...

Só pra não perder a carona. Manchete do "Estadão" de hoje no Caderno 2:
- "Artistas negros iniciam nova onda 'Fica Gil'".
Legenda da foto do ministro, também 'negro':
- "Minha decisão está tomada, vou sair, mas posso mudar de idéia".

Eu como 'artista branco', mas com um pé na cozinha (como FHC) faço parte da 'velha onda' iorubá: 'Desagüenda Gil'!
Acho que o próximo movimento poderia ser criado pelos torneiros mecânicos com faixas dizendo: "Volta Lula!"
...

Que tv digital que nada; manchete de hoje na entrevista com Derrick de Herckhove, no caderno de Informática da "Folha":
- "Telefone Celular será o computador popular do futuro".
O cara inventou o neologismo do século digital que é a "Psicotecnologia". Sabe o que é?
É uma linguagem que "está relacionada com a nossa mente e nossos pensamentos", diz ele, "e cada vez que muda o suporte para a linguagem, muda a sensibilidade do usuário e da cultura".
Segundo sua própria definição até mesmo esse Blog, que você está lendo, é psicotecnologia já que existe uma variedade de interação humana e de software onde você interage também com os comentários dos visitantes e eles com o que se lê.

26 de nov de 2007

"Noite" e "Viagem"

Ainda sobre as estréias cinematográficas da semana, vou direto ao ponto.
Sabe qual é o filme que têm as melhores interpretações?
"Os Donos da Noite", direção de James Gray (assistiu "Fuga para Odessa", não! Então corre pra locadora bee!)

Joaquin Phoenix e Mark Wahlberg faz você acreditar na evolução da espécie "hollywoodiana", os dois estão fantásticos, lindos e ... ah, deixa prá lá. Não perca!
...

Sabe qual é o filme mais biruta, não só da semana, mas do ano?
"Viagem a Darjeeling", direção Wes Anderson

Jason Schwartzman (lembra do rei janota em "Maria Antonieta"?), Adrien Brody e Owen Wilson, três irmãos em busca de afeto! E ainda tem uma irreconhecível Angélica Huston. Pelamordedeusviu!!!!

Uma questão de educação

Vale muito a pena ler a "Entrevista da 2ª" na "Folha" de hoje. Tião Rocha (ao lado) foi o vencedor do Prêmio Empreendedor Social 2007 com seu trabalho diferenciado na área da Educação.
De uma forma enviesada está lá uma tréplica à polêmica frase de FHC referindo-se a falta de estudos de Lula, claro que esta é uma interpretação minha já que nem se fala sobre isso na entrevista, mas vejam só:
- (...) uma coisa é falar de educação, outra é falar de escolarização. A maioria das pessoas que estão cometendo grandes crimes é escolarizada. Então que escola é essa? (...) ela seleciona conteúdos, mas não educa. (...) Ter analfabetos não pode ser um problema econômico, é um problema ético.

A entrevista você pode ler aqui:
http://www1.folha.uol.com.br/folha/educacao/ult305u348104.shtml

...

Neste domingão o "Estadão" deu continuidade a série "Grandes Reportagens" e nos brindou com uma Revista recheada sobre os problemas da Amazônia. Também vale a leitura, são 122 páginas muito bem escritas e fotografadas.
Edição crítica, sem ser chata, toca em pontos que já estamos acostumados a ouvir e saber, mas que é muito importante descobrir 'outros olhares'. Ouvindo o 'outro lado' traz também um artigo assinado pelo presidente Lula (assessoria, of course!) com aquela ladainha que encanta gringos sobre o biocombustível e frases inócuas como:
- "Cuidar da Amazônia tem sido um grande aprendizado para o nosso governo."

Sei... "mais matéria, menos arte" diria a Rainha Gertrudes ao palavrório prolixo de Polônio, em Hamlet. Se é que você me entende.

O site do jornal disponibilizou vários links das matérias apresentadas, mas se der procure a Revista ainda nas bancas, vale a pena tê-la.
http://www.estadao.com.br/amazonia/

É Gucci queridinho!

Este 1 minuto e 1 segundo de David Lynch para a Gucci é muito melhor que os seus três últimos filmes juntos e resume bem o seu estilo freak: lisergia e devaneio. Que bom que ele não ficará desempregado!

Ainda é possível usar esta música by Blondie? Notaram a brasileirinha Raquel Zimmerman fazendo beeemmm a seca...

25 de nov de 2007

O Assassinato de Jesse zzzzzzzzzzzzzzzz...

Brad Pitt de Brad Pitt, who cares?

O que dizer do filme "O Assassinato de Jesse James Pelo Covarde Robert Ford"?
Bem, o "Estadão" (Merten) achou-o "um raro e grande filme" onde "toda a genialidade" (sim, ele disse 'genialidade'!) está na ligação dos personagens entre a "celebridade e o fã".
A "Folha" (Pedro Butcher) acha que a tentativa de modernização do faroeste criou um "pequeno monstro: o western de arte"! Waall, hauahuahau

Casey Afzzzzzzzzzzzzzzzz...

Tô com o Butcher e não abro, essa babação em cima desta chatice com 3 horas (vi na Mostra de Cinema) é um porre! Brad Pitt, está lindo de Brad Pitt e só. Tem também o irmão de Ben Affleck, o chatíssimo Casey Affleck ( que faz o tal Robert Ford), com um tom monocórdio (que NÃO muda em 3 horas de filme com passagem de tempo e tudo!!!) que vem acompanhado de um olhar assim, tipo esgazeado! Bem, o cara foi logo alçado à categoria de ator "genial" e segundo alguns críticos, com certeza será indicado ao Oscar!!! Bom, acho que não vimos o mesmo filme então, muito menos o mesmo ator!
Espero que você tenha outras opções de diversão, caso contrário, se já tiver asssistido tudo o que está em cartaz, vai lá dormir um pouco!
Coeficiente Morfeu: 20 minutos.

24 de nov de 2007

Yes, nós temos "Granta"!

Chegou entre nós a Revista "Granta", de literatura! Já não era sem tempo, Sérgio Augusto no Estadão de hoje resume bem o perfil do leitor brasileiro constatando que "não somos chegados em livro, mas por falta de revistas dedicadas ao gênero não morreremos"! Hehehehe, adorei.

Ele cita a prestigiada "Cult" que já sobrevive há dez anos, juntando-se a revistas 'um pouco mais difíceis' como a "Piauí", por exemplo, e eu acrescentaria outra recente versão brasileira como o "Diplomatique Brasil", que já falei aqui!

Conheci a Granta em sua versão espanhola faz uns dez anos, quando estive em tourné por uns meses lá. Era, como talvez será por aqui, 60% de material traduzido da matriz inglesa e o restante produzido no País, numa destas matérias 'descobri' por exemplo, Martin Amis e assim a revista cumpre seu ciclo, não é?
O número que chega traz a reprodução da edição 97 com "Os Melhores Jovens Escritores Norte-Americanos" (ao lado capa do mesmo número na espanhola), dentre eles você deve ter lido, 'assistido' ou ouvido falar de Jonathan Safran Foer, autor de "Tudo se Ilumina" e "Extremamente Alto & Incrivelmente Perto". O primeiro livro virou filme com o título brasileiro "Uma Vida Iluminada", estréia excelente na direção do ator Liev Schreiber, que contou com o cada vez melhor Elijah Wood. Os dois livros e o filme são fantásticos, o que me faz simplesmente assumir a inveja que sinto do autor! Falei.

Coisa boa, o próximo número da Revista já está sendo preparado e tem lançamento previsto para abril/maio 2008, como nem tudo é perfeito foi encomendado um texto de Arnaldo Jabor, o "pseudo"! Chaissa!

Se joga:
- Granta, 402 páginas, R$47,90 em qualquer livraria/revistaria da cidade, mas já entrou com desconto na Livraria Cultura por R$ 38,32.
- a matéria do Estadão completa, você lê aqui:
http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20071124/not_imp84748,0.php

21 de nov de 2007

Luís "Fabuloso"

Comemorando seu primeiro gol em cima do simbolo do S.P.F.C.! Homenagem justa ao time que o lançou para o mundo, esperamos sua volta (como o fez Raí) quem sabe um pouco menos tarde.

E não é que quem salvou a cara da Seleção foi o (sempre tricolor) Luís Fabiano! Sabe o que é, o cara conhece os atalhos para fazer gol no Morumbi! Chamado de "Luis Fabuloso" nos tempos do S.P.F.C. nem era a primeira opção de Dunga (substituindo Afonso), mas veio e mostrou ser o homem certo no lugar e na hora certa.
Fez falta na época que trocou o tricolor pelo Porto, comoveu com seu desespero quando sua mãe foi sequestrada e ele estava jogando na Europa, acertou com a troca para o Sevilla, onde mostrou o futebol que nós, sãopaulinos, já conhecíamos. Ou você não se lembra quem foi o artilheiro de 2004 pelo Brasileirão!

O contrato com o Sevilla acaba em 2009, mas já começaram os rumores de uma saída antecipada, adivinha para onde?
Saudações Tricolores
...

P.S.: Para não parecer injusto com o Júlio César, ele estava excelente e foi decisivo no placar. Claro, nada que o Rogério Ceni não faria melhor! Heheheheeh

"Gris" is the new black!

A pedidos 'suavizei' o fundo preto do blog. Tinha um fã (agora é isso!) que reclamou que ficava com os olhos ardendo quando lia por muito tempo meus looooongos textos! Pra não chocar muito continuo com os textos looooongos mas optei pelo "gris" (tipo cinza azulado mesmo!) como tela de fundo. Melhorou ou ainda tá chorando fía?
Bjos

20 de nov de 2007

Pink is the new black!

Mike Tyson chegou elegantérrimo, no melhor estilo "gangsta Cotton Club", na penitenciária Maricopa County, em Phoenix (EUA).

Embora tenha sido condenado em um regime especial (com liberdade vigiada e de tempos em tempos 24h de preso), enquanto estiver na prisão terá que usar este modelito que inclui as meias pink com algemas combinando! Eu digo, tendência bee...

Alice, a doce Manicure

Carla Ribas, espetacular, sobrevivente do "método" de uma certa preparadora de atores onipresente no mercado cinematógrafico.

Rapaz e não é que o filme "A Casa de Alice" é ótimo! Mérito do diretor Chico Teixeira e do seu pool de roteiristas, e claro da personagem título, a atriz carioca Carla Ribas que está excelente.
Sabe aquele tipo de filme que se você começar a contar o enredo entrega o filme inteiro e estraga a surpresa do espectador?

Então, "A Casa.." é assim, e se você for como eu que se irrita ao ponto de rasgar o jornal em mil pedacinhos quando o crítico conta o filme, estragando o prazer em assistí-lo então é melhor você não ler mais nada e se jogar no cinema!
Depois você me diz se assistiria a um "A Casa 2", eu adoraria acompanhar mais o desenrolar desses personagens, são tão parecidos com centenas de histórias que a gente já cansou de ouvir e conhece tão de perto.

...

Vinícius Zinn ('el ' fofo ao lado) é um dos 'filhos' de Alice e a "Vejinha" desta semana foi impiedosa com o rapaz (que além de ser "bem" está muito bem, se é que você me entende!), por quê será que personalidades e atores sabendo como são essas 'pegadinhas' da imprensa ("Terraço Paulistano", da dita "Vejinha" é campeão, muitas vezes eu fico até com vergonha pelo entrevistado!) se prestam a esse serviço? Mistério.

Zumbi x Isabel (ou: não, não estou antecipando meu palpite para o carnaval!)

O que eu falava ontem, entre um chopp e outro, com um amigo sobre o feriado de hoje, Xico Graziano falou a sério na sua coluna no "Estadão"!
Dizia eu, "como é, então esqueceram a Princesa Isabel?" e meu amigo (negro, ou afro, dependendo da sua ideologia) respondia: "aquela branquela maluca e frustrada!" . E brindamos mais um dia de folga e folgados.
Graziano, mais sóbrio, aponta o contraponto, festivo e político do Dia da Consciência Negra ao Dia da Abolição da Escravatura (o famoso 13 de maio, que sempre aprendemos nas escolas).
- "Os movimentos sociais preferem valorizar a própria luta dos negros por sua libertação, simbolizadas por Zumbi, a enfatizar a celebração da generosidade dos brancos, expressa na Lei Áurea".

Ambos os "feriados" são sempre estudados e dissecados, aparecendo sinais de farsa aqui e acolá. Seja na tardia 'libertação dos escravos' no Brasil ou no ato heróico do senhor dos Palmares.
Eventos como esses são ótimos para acalorar discussões ou simplesmente, como diz Graziano, fazer corpo mole e como bom brasileiro curtir o feriadão.
...

Leia o artigo na íntegra lá: http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20071120/not_imp82704,0.php

Imperador Tricolor?!

Então, o "Imperador" Adriano ficará até o final do ano sob os cuidados tricolores! O cara mandou congelar seu salário no Internazionale de Milão e ficará sob cuidados físico, técnico e mental no C.T. do São Paulo.
A diretoria tricolor quer Adriano por pelo menos 6 meses para disputar a Libertadores, mas antes têm de disputar com Santos e Flamengo. Quem leva?
O que se falou nesta semana também, foi que um dos motivos da 'quarentena' do Imperador seria cuidar profissionalmente dos seus probleminhas com o álcool! Quanto a isso, ótimo que ele queira se tratar e melhor ainda, sabermos que ele está bem assessorado.
Veja a matéria aqui na uol. E Saudações tricolores!

19 de nov de 2007

Fábia é 'trava' ou tá dopada? (ou: física do petrefiolismo)

O Celso Dossi acabou de me enviar essa pérola que eu compartilho com vocês, já que acho importantíssimo que você também esteja por dentro da "Fisíca do Petrefiolismo"!
Olha, no começo eu achava que esta Fábia fosse uma 'trava' "reescrevendo o pajubá", mas agoara eu acho que ela foi dopada pela entrevistadora mesmo! Hahauahuahaua

Visite a fonte também: http://www.sedentario.org/

18 de nov de 2007

Direto do Chile!

Acabei de receber esta pérola do meu "correspondente" no Chile! Hehehehe, na verdade meu amigão Roberto Cohen, que em busca de uma vida melhor se mandou de mala e cuia e montou um bistrô em Arica (se encuentran las momias más antiguas del mundo!!!) com sua amada Célia.
O que ele não esperava eram os abalos sísmicos que sacudiram o Norte do Chile nos últimos tempos. O penúltimo terremoto foi mais preocupante, este desta semana nem tanto!
Saudades velho, e pelo visto Chavéz não se abalou também! Nem vai né, coisa ruim dura...

Negros conscientes

Em setembro deste ano uma multidão de 20 mil pessoas, vindas de vários Estados, marcharam contra o racismo numa cidade ao sul dos EUA, Jena, no Estado de Louisiana. Sexta feira passada uma multidão cercou o Departamento de Justiça, em Washington pedindo “mais rigor contra crimes de ódio”, como mostra a “Folha” deste sábado segundo Sergio Dávila.

O motivo da barulheira?
Bem, tudo começou em agosto deste ano num Colégio, na cidadezinha de Jena (3.500 habitantes! Para você ter uma idéia o edifício Copan/SP possui 5.000 moradores!!), quando um aluno perguntou a funcionários do colégio se negros poderiam se sentar perto de uma árvore, conhecida como “árvore branca”. A resposta foi “sim, você pode sentar onde quiser”.
No dia seguinte, alunos brancos penduraram forcas nas árvores, iniciando uma série de provocações que culminou na hospitalização de um menino branco, vítima de espancamento. Os acusados: seis meninos negros.

Depois disso os garotos negros foram a julgamento (sendo julgados como adultos!), por homicídio não premeditado, depois revisto pelo Tribunal para assalto. Os ativistas reclamam que esqueceu-se quem iniciou as provocações: os jovens Brancos.

Por conta disso, incidentes envolvendo atos de racismo tomam conta de várias cidades americanas despertando na população uma discussão tão acalorada que não se via deste os tempos de Martin Luther King!
Personalidades e astros também entraram na história, David Bowie, por exemplo, doou US$ 10 mil dólares para financiar a defesa dos jovens negros.
Ainda não sabemos como esta história vai acabar.
...

Sempre busco refúgio na literatura quando algo realmente sério acontece. Nem foi muito difícil, neste caso, procurar muito, já que o que se escreveu sobre racismo e negros contra brancos, com certeza, dá pra inundar a cidade de Jena com tanto papel!

Lembrei de um escritor que teve no Sul americano o antes e o depois da sua carreira, trata-se de “William Faulkner”, você já leu? Se não, deveria, Faulkner escreveu o divisor de águas na sua carreira chamado “O Som e a Fúria” (o título vem de Shakespeare, e está em “Macbeth”: "uma história contada por um idiota, cheia de som e fúria, significando nada") que conta uma história sobre a decadência dos ‘Compsons’ numa narrativa multifacetada pelos membros da família e recontada pela empregada negra, a única personagem lúcida dentro de uma trama difícil e sombria.

O que tem, de prazeroso no livro é o ‘exercício de linguagem’ que o autor faz, intercalando os narradores entre o passado e o presente, buscando também a ‘forma’ de falar de cada um (inclusive o primeiro narrador, um retardado mental, que tem seu depoimento desqualificado exatamente por ser deficiente).

Na semana que se inicia temos mais um feriado para pensarmos na vida. É o dia da “Consciência Negra” (nos EUA eles celebram com um feriado nacional o nascimento de Martin Luther King na 3ª segunda-feira de janeiro).
Então porque você não coloca a leitura em dia e lê Faulkner?
...

Se joga:
A Cosac Naify reeditou “O Som e a Fúria” numa edição capa dura bem bonita (mas está esgotada, se você procurar acha. Eu tenho mas não empresto, sorry!), se você se empolgar compre também “Palmeiras Selvagens” do mesmo autor e mais ‘acessível’.

Depois de comprar o livro dá uma passadinha no Largo do Paissandu (se for de SP, claro!) e visite a Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos.
Só uma curiosidade, ao lado da Igreja tem uma escultura intitulada "Mãe Preta", você sabia que o autor dela é o mesmo que fez o hediondo "Borba Gato" em Santo Amaro?
Sim, Julio Guerra pelo menos caprichou na encomenda da preta véia, será que era medo de ebó?! Ui.

17 de nov de 2007

O cara é bom!

Gosh, sapeando pela net encontrei uma enxurrada de notas dizendo que o astro cientologista Tom Cruise pode interpretar o priápico fundador da "Playboy", Hugh Hefner!


Já disse aqui embaixo da coragem de Cruise em produzir e atuar em "Leões e Cordeiros", o cara também foi o primeiro a assumir em Hollywood o nome do diretor chinês John Woo para dirigir "Missão Impossível 2" (o melhor da série, até agora em que ele produziu todos!), também produziu e atuou no lindo épico "O Último Samurai", quando o diretor cult Paul Thomas Anderson precisava de um astro para lhe abrir as portas para um financiamento Cruise topou atuar em "Magnólia".


Também foi mega ousado em se agarrar ao último suspiro de vida de Stanley Kubrick e aceitar fazer o cabeça "De Olhos Bem Fechados" (filme catiça, já que foi o último do casal Cruise-Kidman), e só para citar que seu 'esforço' em atuar em "Nascido em Quatro de Julho" de Oliver Stone lhe valeu um Globo de Ouro e uma indicação ao Oscar (ambos merecidos, claro que você pode ignorar aquele bigode postiço très ridicule!). Ah, teve "Colateral" também, em que estava excelente, mas é melhor ficarmos por aqui.

Bem, tô parecendo fã adolescente mas é que com suas últimas esquisitices ele acha que precisa fazer com que o público o veja como um bom ator e esqueça, um pouco, da sua vida pessoal.
O que eu fiz acima, lembrando apenas sua fase 'adulta', é um pouco isso.
Tom Cruise é um bom ator, um ótimo produtor (mesmo quando erra!), um artista generoso e um cara esquisito. Qual o problema?

P.S.: ok, vamos esquecer aquela história de 'comer a placenta' do filho recém nascido! Weird!!!

16 de nov de 2007

Dylan também pinta!

Waall, Bob Dylan mostra o seu lado pintor numa Galeria de Arte, na Alemanha!
São desenhos feitos com lápis aquarela durante suas turnês pelo mundo, e o mais incrível é que são tão... ingênuos (sorry, não consigo detonar o mestre! hehehe).
A reportagem completa você lê aqui no "Guardian", tem mais desenhos lá pra você comparar e me dizer depois se a inspiração do velho Bob não foi Van Gogh!

15 de nov de 2007

Vinicius Torres Freire já disse tudo!

Amigos, eu ia encher o saco de vocês e escrever algo sobre esta patacoada que é/foi a Proclamação da República, mas depois de ler a coluna do Vinicius Torres Freire no caderno Dinheiro da "Folha" de hoje desisti, para o bem geral da Nação.
Apenas peço um pouquinho do seu precioso tempo para que deem uma lida, já que é só para assinante eu fiz o favor de copiá-la abaixo. Enjoy!
...

VINICIUS TORRES FREIRE/Caderno Dinheiro - Folha de S.Paulo (15.11.2007)

"Eia, pois, brasileiros, avante!"

Diz o Hino à República. Eia! No dia da República, lembremos, eia!, os feitos dos Poderes da República neste novembro

UM BOA DIA para avacalhar os poderosos da República é este dia 15 da Proclamação da nossa mambembe República. Trata-se de tradição republicana, mesmo que a tradição republicana ainda precise ser inventada entre nós.
É de qualquer modo melhor do que se render à nostalgia monárquica que se abate sobre o país nestes meses de idiótico revisionismo histórico que antecedem a festa pelos 200 anos da instalação da real e fugida família Bragança no Rio, episódio que transformou o Brasil em colônia terceirizada da Inglaterra.
Afinal, quase todos somos livres e podemos eleger os imprestáveis que nos governam em vez de aturar quase 50 anos de um Pedro 2º, o Soneca. Esse "rei filósofo" largou o povo em cruel ignorância enquanto fazia gracinha racista com Gobineau e brincava de inspetor escolar do colégio imperial. Foi o "imperador cidadão" da mais renitente escravidão do mundo ocidental e que ajudou a negar terras e meios de progresso ao miserê que não estava na senzala, o fundador da pátria da desigualdade.
Mas, como se dizia, hoje é dia de avacalhar a República. "Eia, pois, brasileiros, avante!", falemos dos atos que neste novembro da festa republicana lembram o destino da coisa nossa, ou melhor, do que deveria sê-lo, a coisa pública.
Comecemos pela véspera, com o presidente, que ontem elogiou o regime de Hugo Chávez, o ditador "wannabe" da Venezuela, onde "não falta democracia", segundo Lula.
Passemos ao Judiciário nada judicioso, ora grande legislador da ética na política e instituidor do tribunal da fé partidária. Tratemos em especial do Supremo Tribunal, onde os ministros se acusam de não ter honra, casa onde se tolera a chicana judicial a ponto de não se mover uma palha para dar fim à recurseira e às manobras indecentes que deixam livres e impunes todos os amigos da "coisa nossa" (da "cosa nostra", não da coisa pública) ou até pistoleiros e homicidas confessos, como esse ex-governador-senador-deputado Cunha Lima. Aliás, "eia!", senadores como Arthur Virgilio (PSDB) e Eduardo Suplicy (PT), que fizeram mesuras para o pistoleiro renunciante.
Falemos do Congresso, onde podemos ver os efeitos da ética na política restaurada pelo Judiciário legislador. Onde o deputado Mozarildo Cavalcanti, do PTB que mama na coalizão governista, mas um recalcitrante em termos de voto de bancada, diz em público que seu conterrâneo e senador do PMDB, Romero Jucá, líder do governo, é "corrupto", "com certeza", e não acontece nada.
Eta falta de vergonha na cara!
Eia, PSDB! Que tem em seus quadros um governador, Téo Vilela, ativo na falange de Renan Calheiros (PMDB) e um senador no córner e na mão do PT por ser príncipe do mensalismo, Eduardo Azeredo, do PSDB que negociava siderúrgica para o Ceará de Tasso Jereissatti quando se discutia imposto sobre finanças. Eia, caciquismo tucano!
Eia, PT e seus senadores também falangistas, como o abstêmio arrependido Aloizio Mercadante e da renitente Ideli Salvatti, PT que vai "renovar" seus líderes tendo varrido para baixo da camada de sal a refundação da sua vergonha na cara, que virou gás liquefeito no mensalão.
Eia!, enfim, pefelês e "demos", pelo conjunto da obra do atraso!

vinit@uol.com.br

Cala-te!

Exemplo de democracia Venezuelana. Estudantes tomam pau de defensores de Chávez, "O Democrata".

Bom, infelizmente, não surgirá nenhum rei pelas bandas de cá para mandar Lula se calar, depois de sua última declaração em que diz que: "Não podem atacar Chávez por falta de democracia".
Quem sabe algum professor de História se habilite para dar umas aulinhas para o semi-alfabetizado presidente e lhe explique direitinho que, ao contrário do que ele imagina, o 'exercício do poder' está umbilicalmente ligado ao regime de cada País, sim!
Ou ele acha que o Parlamentarismo inglês tem todas essas 'brechas' escusas permitindo a qualquer um prolongar-se no poder, seja qual cargo for?
...

Enquanto isso, exemplo de 'falta de democracia' nos dá o nobre brasileiro que manda para rua economistas do IPEA (Instituto de Pesquisa Economica Aplicada) que discordam do governo. E sabem de quem é esta canetada? Roberto Mangabeira Unger, aquele do SEALOPRA, que foi sem nunca ter sido!
Dá uma olhada no Blog do Josias de Souza da "Folha" e me diz:
http://josiasdesouza.folha.blog.uol.com.br/

Vai gelo e "LIMÃO" senhor?

Você já visitou o "Limão"? Não, então vale a pena! É mais uma tentativa do jornal "Estadão" (finalmente com um site decente! Tudo bem que imita um pouco o NYTimes) de criar uma rede tipo orkut. A primeira vez flopou (era uma extensão do caderno de informática "Link", lembra?), mas agora parece que pode rolar.
Você faz seu perfil, edita a página de apresentação do seu jeito (manja o 'dock' do mac? Pois é os caras copiaram o conceito!), cria páginas (wikesite) com o conceito "wikepedia" e mais um monte de coisas.
Achei bem moderno, um pouco over mas ainda tá em teste, quem sabe pega? Dá uma sapeada e depois me conta.
...

Você já visitou?:
http://home.limao.com.br/home/
http://www.estadao.com.br/

14 de nov de 2007

C'est la guerre

Estreou na semana passada, e com certeza será um fracasso de bilheteria, o filme “Leões e Cordeiros”, uma trinca de respeito brilha no ‘filme-debate’: Tom Cruise (está de Tom Cruise e também produtor), Robert Redford (está de Redford e também dirige) e Meryl Streep (que tenta não parecer Meryl Streep mas está mais Meryl Streep do que nunca!).

As criticas que saíram na semana passada comparam-no ao novo Brian De Palma (“Redact”, estréia em breve, por enquanto só quem viu na Mostra sabe) eu prefiro compará-lo a “No Vale das Sombras” que estreará na semana que vem. Trata-se do novo filme do canadense, que mais entende os E.U.A., Paul Haggis (você sabe, ele dirigiu “Crash” e tem uma parceria oscarizada com Clint Eastwood, para quem escreveu o roteiro de “Menina de Ouro”, “A Conquista da Honra” e “Cartas de Iwo Jima”)

Pois bem, “Leões...” não é todo mau, divide sua 'narrativa-blá-blá-blá' em três situações que se cruzam, um Senador (Cruise), que ambiciona a presidência, dá uma entrevista exclusiva para uma Jornalista (Streep) que um dia acreditou nele e que ele quer que continue acreditando, já que precisa vender esta entrevista ‘chapa-branca’ para defender a ocupação das tropas americanas no Afeganistão.
Enquanto isso na ‘sala-de-justiça’ de uma universidade, um Professor carismático (Redford, of course), convoca um aluno-problema, mas muito inteligente, e tenta mudar seus conceitos sobre os E.U.A. exigindo dele uma participação mais ativa no conflito americano.
Na outra ponta da história (a melhor, diga-se), outros dois alunos (‘da cota’!) do tal professor provam que podem mudar o mundo com menos blá-blá-blá e vão para onde? Isso mesmo para o Afeganistão!
Fecha o ciclo.

Já “No Vale...” um pai (Tommy Lee Jones), ex-militar parte em busca de seu filho, que deveria ter voltado para a casa depois de ter servido na Guerra do Iraque. Ele vai descobrindo um filho que ele desconhecia e que nem tinha idéia que pudesse tê-lo criado.

Os E.U.A. mudaram seus filhos numa Guerra entre ‘Davi e Golias’, que o pai vai descobrindo através de vestígios de uma câmera de um celular (e viva a tecnologia!). Boas sacadas, excelentes diálogos, acho que não precisava da ‘metáfora’ da América com a bandeira (você vai ver!), mas o que fica na memória é a mãe (Susan Sarandon, quem mais?!) vendo o seu filho atrás de uma persiana que vai ‘fechando’ seu olhar. Incrível!

Enfim, que bom que Cruise (cada vez mais psico) acredita em projetos arriscados e dá a cara pra bater num filme difícil como “Leões...”, mas quem sai ganhando mesmo é o ‘painel’ americano que Haggis traça sem psicologismo, com pouca ladainha e excelentes cenas.
...

Como cantou Bowie:
"(...)Im afraid of americans
Im afraid of the world
Im afraid I cant help it
Im afraid I cant(...)"

Jing@#&* bel*&^%$!!!!!!!

Ai que saco, a cidade já começou a ficar cafona!
E olha que o prédio que o 'bom velhinho' está olhando (Conjunto Nacional, na Paulista pra quem não é de SP!) ainda nem começou a sua tradicional decoração reciclada mostrando para nós, paulistanos, o horror, o horror...

O Cercadinho do Velho Português

Demorou mas finalmente vão 'arrumar' o quintal de Camões!
A Biblioteca Municipal Mário de Andrade/SP (depois da do Rio a segunda maior do Brasil) finalmente fechou para uma reforma eternamente adiada e urgentemente necessária.
Só espero que o prefeito não se precipite em querer reinaugurá-la no final do seu mandado, apenas por causa das eleições do próximo ano.

São Paulo já está com problemas demais com os seus 'bens culturais', veja o caso do Masp, e mais do que a reforma é preciso que se pense, em conjunto com a Secretária de Educação e Cultura, a importância da Biblioteca para os cidadãos 'de hoje'.
Você sabia que a frequência da Biblioteca nos últimos anos era de senhores aposentados que iam ler os jornais e revistas do dia e de professores recém formados 'sem acesso' a computadores? Estou tirando desta relacão os homeless do entorno que só queriam mesmo era um bom banho de pia no banheiro!
Ainda bem que Camões é cego de um olho porque senão...

Meu Mantra Rosiano

"Tudo o que muda a vida, vem quieto no escuro sem preparos de avisar"

13 de nov de 2007

"Recado do Morro" de Rosa

“Mutum” é o primeiro longa de ficção da documentarista Sandra Kogut, adaptado de uma novela de Guimarães Rosa (Campo Geral – Miguilim), assisti ao filme com o texto ‘ainda fresco’ na minha cabeça e com algumas frases decoradas. Explico.
...

Corte no Tempo!

Alguns atores do "Boi Voador", domando bois. Essas rodas eram os únicos elementos de cena que se transformavam de acordo com a história interpretada, assim viravam bois, cavalos, casas, labirintos, 'passagem de tempo', montanhas e o que mais a imaginação permitisse!

Era 1987, estava na flor dos meus 19 anos, havia assistido a uma série de ensaios abertos que mais tarde formariam o espetáculo “Corpo de Baile” com o Grupo Boi Voador (dissidência do CPT de Antunes Filho), dirigido por Ulysses Cruz (11 de cada 10 atores implorava para trabalhar com o cara!). Pois bem, num dia apresentava uma novela de Rosa e depois debate sobre figurinos, no outro outra novela e debate sobre dramaturgia e assim até encerrar a semana. No primeiro dia fiquei em transe e apoplético com o que via, já tinha estreado uma peça profissional e vivia de cursos e workshops para me aperfeiçoar como ator.
Todos os atores do "Boi" , uns 15, rasparam os cabelos e coloriram cada um de uma cor diferente (inclusive as mulheres!) e óbvio, não pensei duas vezes em raspar minha encaracolada cabeleira hyppie e me oferecer para trabalhar no Grupo (nesta altura dos debates TODOS os atores já me conheciam , já que eu fazia o groupie durante a temporada).

Resumindo a história Ulysses me mandou para um núcleo que estudava Cortazar (“Observatório” estreou depois de 3 anos de ensaios para 3 meses de apresentações!) sob direção de Beth Lopes que havia sido sua assistente. Em 1988 estreara “Corpo de Baile” (com dramaturgia de Jayme Compri, com quem aprendi muito, infelizmente morto em Londres de uma forma estúpida), transformando a obra de Guimarães Rosa num dos melhores espetáculos de todos os tempos.

Na novela “Miguilim”, Paulo Chiavegatti (algum tempo depois vítima da AIDS), era uma criança deslocada do seu tempo, guardo duas cenas lindas e tristes:
Quando o garoto descobre que “pode enxergar” e ter uma vida melhor em outro lugar ele se agarrava na saia da mãe (Denise Courtouké, fantasticamente expressionista!) e gritava quase chorando:
- “Mãe, mas por que é, então, para que é que acontece tudo?!”
A outra é quando o seu irmão pergunta se ele tem medo de morrer, e Miguilim respondendo 'dostoievskianamente':
- (...) eu tenho medo, mas só se fosse sozinho. Queria a gente todos morresse juntos...

Poderia ficar escrevendo horas sobre estas lembranças, talvez em outro momento o faça, o negócio é que Ulysses acabou com o Grupo e foi para a Globo (dirigiu especial da Angélica, mini-série e recentemente uma novela que foi o maior fracasso na rede! É, os deuses do teatro não perdoam!!), deixando alguns núcleos de pesquisa e dezenas de atores para trás, o resto é resto e alguns sobrevivem pelos palcos bem ou mal.

...

Voltando para “Mutum” infelizmente o filme não se acerta. Eu costumava dizer para os meus alunos de teatro que um filme baseado num livro só é bom quando você fica com vontade de ler o livro.
Não é o caso, perdeu Guimarães Rosa (quem o achava chato com obrigações escolares em ler "Sagarana" não chegará nem perto desta linda novela) o filme é troppo seco e tem uma estética neo-realista italiana um pouco ultrapassada. Embora trabalhe com não-atores a única escolha profissional é equivocada (o onipresente João Miguel) as crianças não tem carisma e a mão pesada da direção não leva o filme pra lugar nenhum esgarçando sua narrativa para o que ‘não é visto’.

Sandra deveria ter levado a sério o ‘propedêutico’ do livro com uma frase de “Plotino”:
-“Num circulo, o centro é naturalmente imóvel; mas, se a circunferência também o fosse, não seria ela senão um centro imenso”
Pois bem, o filme é de uma 'imobilidade imensa'!
É crianças, mexer com Guimarães não dá certo se você não observar ‘o que não é dito’!
...

Se joga: Você tem que ler o livro primeiro, pleaaaase!
Tem uma edição comemorativa lançada pela Nova Fronteira com todas as novelas que compõe “Corpo de Baile”, ou então procure em sebos as edições antigas, ainda separadas, e compre “Manuelzão e Miguilim”.

Tá russo fía!

Então, "O" Rei está preparando sua volta, enquanto isso celebra - COM TODO O MÉRITO - os 25 anos do lançamento de "Thriller", "O" disco pop de todos os tempos.
Antes desta entrevista para "Ebony", MJ já estava nas bancas desde o mês de outubro numa edição especial da "Vogue L'uomo Itália" com fotos incríveis by Bruce Weber (tem uma com boné de baseball, vestido de Dior e com uma capa vintage que é o verdadeiro retrato da transformação deste homem!).
Mas o que a "Vogue" não diz, e está na "Ebony", é a influência do compositor russo "Tchaicovsky" na sua obra!!! Ele cita o "Quebra Nozes" como exemplo de composição perfeita e é exatamente isso que ele espera alcançar em seus discos.
Não tenho dúvidas da perfeição do "Quebra Nozes", mas tenho certeza absoluta que o que deve ter perturbado MJ, e muito, seja a vida escorregadia do mestre russo (eternamente em crise!) que apaixonado pelo seu sobrinho cria outros exemplos de 'perfeição' de cortar os pulsos (a "Sinfonia n.6" é dedicada ao sobrinho amante, por exemplo). "Eugene Onegin/Евгений Онегин" a ópera adaptada da novela de Pushkin é um exemplo devastador sobre a 'amizade' entre dois homens com um resultado trágico. E ainda tem uma ária para soprano (Tatyana escrevendo uma carta) que é um clássico!
...

Se joga: Se você odeia ópera tudo bem, eu entendo, compre o livro de Pushkin ou enfrente (o que eu recomendo) algum dvd da montagem.
Você pode também procurar em algum sebo a biografia, esgotada nas livrarias (embora tenha alguma coisa em inglês), "Piotr Ilitch Tchaikovski, uma Biografia" do xará Piotr Ilitch, Editora Record. Ao lado 'retrato do artista quando jovem'.
Bom, também pode esperar o novo lançamento de MJ e ouvir direitinho se a tal influência russa trouxe uma nova revolução pop! Como já conheço tudo isso que acabei de te dizer eu aguardo febrilmente pelo 'novo' do REI.