7 de dez de 2007

"tudo certo como 2 e 2 são 5"

Karái companheiro, somos burros e endurecemos, pero sin perdermos la ternura jamás!

Depois do resultado do PISA (sigla, em inglês, para Programa Internacional de Avaliação de Alunos), divulgados pela OCDE (Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico) com os péssimos dados do Brasil em Ciência (52ª posição) era de se esperar um leve rubor de vergonha nacional.
Pois não é que estamos ainda piores com os resultados de Matemática (53ª entre 57 países) e Leitura (48ªentre 56)!

Bom, nunca é demais repetir o que o presidente Lula pinçou do seu anedotário de frases infelizes:
- "Ler é pior que fazer exercício em esteira"!

Então meus amigos vocês esperavam o quê?

...

No final de novembro a Amazon.com lançou o “Kindle”, um leitor eletrônico de livros com conexão sem fio com a internet.Trata-se de um bagulho que pesa 285 gramas, projetado para ser mantido nas mãos por um período longo com tecnologia desenvolvida pelo MIT.

A Amazon possui 90 mil títulos à venda para o aparelho que tem memória suficiente para 200 livros (ou mais, se você expandir o cartão de memória). Em breve poderá também executar músicas, embora a Amazon não permita a compra direta em sua loja e muito menos acesso a outros sites, o cuidado é para que não se desvie da idéia principal do Kindle que é criar uma nova plataforma de leitura para os resistentes ao velho e bom livro!

Com isso o livro, conforme conhecemos hoje, acabou? Claro que não, assim como também não acabou a pintura com as instalações-intervenções plásticas. O teatro não morreu e a ópera está mais viva do que nunca, mesmo com o advento da tv.

A comercialização da música talvez tenha sido o que mais se aproximou de uma morte súbita com o fim do vinil, do laser disc e agora o cd.
O livro - tenho certeza - não acabará nunca, pode perder leitores mas estará sempre presente. Mesmo que seja numa ilha deserta, guardado por Prósperos e estudado por Mirandas em busca de um admirável mundo novo (leia “A Tempestade” de Shakespeare e você vai entender!).

P.S.: Os dados do Pisa revelam também que mesmo em países desenvolvidos, como Estados Unidos, Bélgica e Espanha, quando há distorção série/idade o rendimento dos alunos diminui. A média obtida pelos estudantes com oito anos de estudo coloca essas nações ricas nos níveis elementares de desempenho, chegando a ser inferior à dos brasileiros. Nos Estados Unidos, a pontuação cai de 510 para 351 quando comparadas às notas médias dos alunos com nove anos ou mais de estudo e dos estudantes com oito anos de escolarização. Na Bélgica, reduz de 517 para 348. Mas como nesses países o atraso escolar é muito baixo, ele tem pouca repercussão na média geral. E viva a Finlândia primeiríssima colocada, esse país nórdico tem o maior número de bandas de rock mais bacanas do planeta e, como nem tudo são flores, uma taxa altíssima de suícidio de jovens!

Nenhum comentário: