4 de mar de 2008

"Mucho exciting"!!!

Como não posso divulgar nenhum trabalho que faço antes que, oficialmente, meus contratantes o façam, agora já não tenho como esconder a minha participação na direção e iluminação da ópera "Ça Ira" de Roger Waters com regência do maestro Luiz Fernando Malheiro para o XII Festival Amazonas de Ópera.
Chamada de capa na "Folha" de hoje para capa da "Ilustrada", Irineu Franco Perpetuo entrevistou Waters, que disse estar "arrepiado só de me imaginar trabalhando na Amazônia".
Arrepiado estou eu! Como você pode ler aqui parte da matéria intitulada "Pink Floyd na Amazônia", te conto logo abaixo coisas que não saíram no jornal.

Maestro Luiz Fernando Malheiro, Roger Waters e Maestro Rick Wenworth, debruçam-se sobre a partitura de "Ça Ira" num encontro em NY no mês passado.

Quando o maestro Malheiro voltou de NY, depois de um encontro com Waters e me disse que ele não tinha preocupação nenhuma com a competência musical e lamentava não ter podido me conhecer para saber mais sobre a concepção cênica, eu quase caí de quatro!
Com o meu e-mail em mãos, Waters no dia seguinte do encontro, me escreveu antes mesmo do maestro para me contar que a reunião tinha sido ótima e que pena que eu não estava lá, emendou falando de sua ansiedade e me mandou o seu telefone 'private' de sua residência para "any questions at anytime"!
Que óbvio eu até hoje não liguei, estamos num troca-troca de e-mails agradabilíssimo, principalmente depois que eu enviei as fotos da maquete do cenário para o projeto, que você pode conferir aqui no meu flicker, já que as fotos que ilustram a matéria são de uma milionária produção ao ar livre na Polônia e, claro, tenho uma concepção totalmente diferente!

Eu e Chris Aizner, meu cenógrafo, em mais uma parceria operística, preparando a maquete para as fotos de "Ça Ira"!

Ao ver as fotos, ele me escreveu de volta:
- "Hola Caetano, the sets look wonderful. Very exciting."
E ao fim das explicações cênicas, voltou com um:
- "Got them!! Mucho exciting."

Amei seu 'esforço' com os "hola" e "mucho" e passei a ignorar as regras básicas do bom inglês, para duas pessoas que 'formalmente' não se conhecem, e em resposta ao seus tradicionais "best whishes" tasquei ao final dos textos um bem brasileiro "kisses dearest"! hahahahaha

Por enquanto meu único ataque de fã, já que estou proibido pela minha agente em ter qualquer tipo de 'xilique' quando o ver em Manaus agora dia 17.
Mal sabe ela, e eu posso dizer, já que agentes têm muito mais o que fazer do que ficar lendo Blogs, que de toda a discografia que tenho do Pink Floyd escolhi o vinil de "Dark Side of the Moon" para receber um autógrafo escondido.

Nenhum comentário: