26 de abr de 2008

'Camp' Ópera!

O XII FAO teve continuidade com uma inusitada sessão maldita (meia noite!) no Teatro da Instalação no centro de Manaus (região habitada à noite pelas 'primas-de-vida-fácil'), sessão esta que já havia sido cancelada na semana passada por indisposição das duas divas convidadas e que nem a tempestade que desabou na cidade foi capaz de cancelar novamente.

Na falta dos críticos (que estavam preparados para a semana passada) faço então o papel deles apenas para relatar o que com certeza fará parte de outras edições deste já conceituado Festival, e vamos combinar que um pouco de irreverência não faz mal a nenhuma instituição.
Assim sendo foi com grande pompa que o FAO recebeu as divas Gerardine Savana e Jovanka Milika!

Montado com doze números e um intervalo o show foi comandado pelos "labeque" Marcelo de Jesus (num visual 'sad-college' com direito a suspensórios vermelhos (!) numa base polo preta) e Franco Bueno ('neo-skinhead' lembrando um integrante de alguma banda 'brit pop') tocando a quatro mãos "Edelweiss", tema para descortinar o cenário que tinha o palco coberto por pétalas vermelhas, uma 'chaise long' néo-clássica, mesa e poltrona francesas cedidas pela "Maison Manon" e um telão de uma bucólica e silvestre paisagem perdida no tempo em que a velha Europa ainda respirava glamour.

Savana e Milika se revesaram em árias (e num momento "Irma Vap", também em figurinos e perucas), alternando aguardados duetos do quilate de "Lakmé", aliás aplaudido com urros de excitação e logicamente bisado no final.
Os 'amantes-entendidos' que estavam extasiados, roucos e com dores abdominais de tanto rir falavam no intervalo que era incrível a quantidade de "MIs" e "LAs" que a franco belga Gerardine Savana dominava e que só por isso já valia o maior cachê pago pelo Festival, notavam também tooooooooda a referência de váááárias escolas austro-húngaras e a influência que Jovanka Milika ainda exerce na nova geração e em boa parte dos cantores convidados deste ano.

Ignorando os 'amantes-entendidos' destaco dois momentos como ápice do mais puro 'grand guignol' erudito que já pude presenciar:
- A interpretação de Savanka (de crucifixo em punho!) em "Pace, Pace", que para muitos lembrava a 'região escura e pouco habitada' da voz de Leontine Price mas que para mim era nitidamente uma encarnação vocal da nossa diva dos 'bosques vienenses' Eliane Coelho!
- Outro momento foi a "Marcha Triunfal" de "Aida", que antes do famoso dueto Aída/Amneris, Jovanka Milika nos mostrou tudo o que aprendeu da técnica "Gesamtkunstwerk" e deslizando com suas meias 'gris' de puro algodão apresentou a coreografia DEFINITIVA que com certeza será copiada por coreógrafos de todas as boites da noite manauara!

E como eu tenho acesso livre a qualquer coisa que acontece por aqui mostro em primeira mão o click nervoso que eu, FÃ, tirei do camarim minutos antes das nossas musas pisarem no palco!

A Franco-Belga Gerardine Savana (aka Geilson Santos) com o seu primeiro modelito da noite, pronta para ária "Je veux vivre" de Romeu e Julieta, interpretanto, claro, Julieta!

Jovanka Milinka (aka Caio Ferraz), contralto coloratura ex aluna da professora Uiva von Wolff, em excelente domínio corporal nos surpreendeu com a ária de Rosina "Una voce poco fa" do "Barbeiro de Sevilha"

...

P.S.: Amores, foi um delícia 'Camp' essa brincadeira que lotou meia casa no Teatro da Instalação (culpa do chuvaréu, claro!) enchendo de irreverência e apoplexia a programação do FAO. Aguardem os próximos anos, hahahahahah

5 comentários:

Igor Santana disse...

não brinca que teve ontem? :O
fiquei por fora depois que foi cancelada :(

Igor Santana disse...

p.s.: o Mr. Jesus deve ter ficado uma gracinha, com aquela cara de menino que ele tem. rsrs

viralata disse...

perdeu o momento antológico do FAO! heheheh, e falarei para 'aquele menino' os elogios!
;*

L.B. disse...

Olha Caetano, o "brasinha" da ópera, só vc mesmo prá nos divertir com estas fotos e texto sbore as DIVAS apocalípticas!

DIVINO!!!

viralata disse...

este ano faltou vc querido!!! Bjão e obrigado!