16 de abr de 2008

Foi assim:

Manchetes dos jornais de hoje em Manaus contam do sucesso que foi a tão esperada estréia da ópera "Ça Ira", debut de Roger Waters no mundo lírico, tive meu momento 'pop star' com elogio do próprio no Jornal da Globo, pela madrugada, com link ao vivo e tudo!
Como já disse anteriormente venho para Manaus há dez anos e nunca vi tamanha mistura de público na platéia 'polar' (apenas do ar condicionado, claro!) do deslumbrante Teatro Amazonas; jovens, roqueiros, socialites e 'tradicionalistas' aplaudiam cada mudança de cena com expectativa redobrada diante das trocas de cenário. E para minha surpresa, DEU TUDO CERTO!!!
Claro que teremos ajustes técnicos e aprimoraremos o ritmo destas transições, algumas foram realmente muito lentas e podemos melhorá-las, mas isso não comprometeu de forma alguma o andamento do espetáculo.

Alguns fãs 'pinkfloydianos' e 'watersianos' saíram de outras capitais para ver de perto o que nossa equipe aprontou com essa ópera, cinco são leitores deste Blog e corresponderam-se comigo desde o meu primeiro post sobre a montagem. Como foi o caso da incansável Elzira que acompanhou as apresentações de "Ça Ira" na versão em Concerto na cidade de Roma, as récitas da montagem polonesa e pasmem está de malas prontas para Holanda onde "Ça Ira" será novamente encenada.
Elzira veio de Curitiba, chegou em Manaus no dia em que eu preparava o palco para o pré geral de "Ariadne auf Naxos" (falo depois da estréia desta minha outra direção) e não se incomodou em ficar horas na platéia vendo toda aquela parte chata que o público não tem idéia de como acontece, assistiu o pré e o geral de "Ariadne..." e óbvio a estréia de "Ça Ira".

Saber que alguém viaja horas para assistir e ver um 'sonho' ser realizado só aumenta a minha responsabilidade e redimensiona as expectativas do espetáculo pronto. Morria de medo só em saber disso tudo antes, nos ensaios técnicos não podia nem passar por perto de algo inacabado que eu já achava que não estava a altura da ansiedade alheia.

Enquanto isso pela tarde Roger Waters, tranquilo mas um pouco apressado, checava o som junto com o maestro Rick Wentworth (arranjador do cd que foi lançado da ópera e maestro das versões na Polônia) e antes de ir para o hotel me desejou sorte me deixando cuidar da luz do terceiro ato do espetáculo.

Me surpreendi ao vê-lo visivelmente nervoso (de ansiedade) no seu curto discurso (em português!) de apresentação do espetáculo e mais nervoso ainda quando o trouxe ao palco para os agradecimentos finais. Já na coxia ele estava emocionado e me agradeceu muito por estar vivendo tudo aquilo, quando o peguei pelas mãos e o puxei para o palco ele me segurou forte e não deixou que eu o largasse.
Só quem está diante de uma platéia lotada num evento tão importante sabe o frio na barriga que todo artista têm neste momento!

E não é que até Mister Waters, acostumado a enfrentar multidões durante anos e anos ainda se emociona num momento destes.

...

Nota dissonante:
Uma pequena confusão com uma produtora de São Paulo (um pouco alterada, fiquei sabendo!) impediu que nos confraternizassemos ao final, numa recepção improvisada no nosso hotel, com todos os artistas. Infelizmente Roger, Rick e seus amigos chegaram primeiro e saíram antes da gente, soube que ele se irritou bastante mas tenho certeza que ele sabe que não é do nosso feitio destratar uma estrela da sua grandeza. Portanto está aqui o meu pedido público de desculpas em nome de todos os artistas, maestro e toda a produção em Manaus.

3 comentários:

Anônimo disse...

Queridissimo, muito muito obrigado pela fantastica semana, uma overdose de momentos inesqueciveis, I am comfortably numb until now. Adorei tudo, desde os ensaios de Ariadne aos comentarios do blog. Voce e todos envolvidos no FAO estao de parabens. Sim Caetano, tudo deu certo. Voce conhece bem a obra e o criador. Parabens! Agora, seria maravilhoso se Ca Ira fosse encenada em SP e Ctba. Sabia que ganhamos um novo teatro, o Teatro Positivo. Sei que e muita pretensao, mas te garanto que estarei presente em todos os espetaculos caso eles precisem do meu aplauso para acontecerem. Muitissimo obrigado por tudo. Bom trabalho e sucesso nas proximas encenacoes, Caetano. Beijos, Elzira

viralata disse...

Amor obrigado pelo carinho! Quem sabe "Ça Ira" volte, veremos, ainda está fazendo muito sucesso por aqui com ingressos esgotados até a última récita! Sabia que vc foi citada na "Veja" desta semana, quando o jornalista foi me entrevistar apontei vc na platéia de Ariadne e contei tua história, hehehe
Bj e espero nos ver em breve!

Anônimo disse...

Caetano querido, vi sim a Veja e achei muito interessante o comentario sobre os eruditos, de eles gostarem ou nao da musica de Roger Waters. Sera que o reporter sabe que The Letter, aria elogiada por ele, esta no disco The Pros and Cons of Hitch Hiking? Bom, o fato e que a musica, a obra do Sr Waters ja se tornou um classico, o que voce descreveu muito bem no programa do XII FAO. Congratulations again!!! Beijos, Elzira