25 de abr de 2008

'I do my best'

A morte de Maria Antonieta (Gabriella Pace) vista de um ângulo diferente, by Arthur Grolimund

Queridos o encerramento do espetáculo "Ça Ira" foi maravilhosamente perfeito! Pena Roger Waters e Rick Wentworth não estarem presentes, porque foi melhor do que na estréia. Tudo funcionou exatamente como eu imaginei, técnica, elenco e orquestra estavam em absoluta sintonia e para minha surpresa TODOS os efeitos de som (que Waters tanto trabalhou antes da estréia e viu falhar!) foram executados.
Mais uma vez digo que para quem trabalha com teatro tanto é comum "maldições" de segunda récita quanto "perfeições" da última, e devo confessar que perdi a conta de quantas vezes ouvi: "ah, agora que estava lindo acabou e não apresentaremos mais!"

Pois é, acabou. Mas espero voltar, já que tanto eu quanto a minha equipe nos dedicamos tanto para que "Ça Ira" fosse um espetáculo lúdico e bem realizado.
Todas as críticas publicadas e faladas foram unanimes em afirmar a plasticidade e beleza do meu trabalho e da minha equipe, nem todas apreciaram a composição e a música de Roger Waters, e como previu Sérgio Martins na "Veja" os fãs do "Pink Floyd" realmente foram ao delírio com essa experiência 'lírica' já os fãs de ópera...

Talvez se não fosse chamada de ópera e sim de uma 'ópera-musical', talvez se Waters tivesse um dramaturgo que o auxiliasse no libreto, talvez se houvesse outros conflitos na história, talvez...
Claro que eu não tenho 'distanciamento' para uma crítica mais aprofundada, embora saiba exatamente o que poderia ser diferente, levo apenas em consideração que "Ça Ira" foi a sua primeira experiência neste meio e que em nenhum momento eu presenciei na figura de Waters a arrogância de quem sabe ou tem certeza de tudo, muito ao contrário, vi um homem sério, perfeccionista, com medos e inseguranças de um artista que ouve o próximo e não se deixa iludir com elogios fáceis.

"Ça Ira" pode não ser uma obra perfeita, e não é, mas foi fruto de uma parceria e amizade (Etienne e Nadine Roda-Gil) que levou anos de trabalho e a dedicação de um homem (Waters) que não precisa provar absolutamente nada a ninguém.

Mais uma vez a minha gratidão a um novo amigo e como eu disse a ele desde a primeira vez:
- "I do my best"

4 comentários:

Anônimo disse...

Caetano querido, muito muito muito obrigado mais uma vez por tudo. Espero sim ver Ça Ira nos palcos brasileiros muitas outras vezes. Estarei ausente do blog nos próximos quarenta dias, mas tenha certeza que sempre lembrarei de você com muito muito carinho. Você conquistou uma fã para todo o sempre, pelo teu trabalho no palco e jeito de levar a vida. Adorei tudo!!! You and Roger are Kindred Spirits and this is what matter. Good Luck, Boa Sorte nos próximos espetáculos!!! Beijos, Elzira

viralata disse...

A 'casa' está aberta querida, volte sempre!!!!
Beijos

UM BLOG SEM COMENTÁRIOS É UM BLOG MORTO disse...

errar...errar de novo...errar errando.
parabéns pelo blog
pancho cappeletti

http://panchocappeletti.blogspot.com

viralata disse...

e quando acertar esquecer que acertou!
Valeu Pancho, temos muito em comum, hehehehe
;)