2 de mai de 2008

'Desarroio'

Ismael Caneppele, assim como o personagem "Holden Caulfield/O Apanhador nos Campos de Centeio", encarna também o arquétipo da melancolia de uma nova geração não tão distante da de Salinger, ao menos na literatura.

Depois de cometer um 'blogcídio' com o seu "Chorando pelo Campo", Ismael Caneppele, aka Geheimnis, não se contentou em escrever seu primeiro livro mega-incensado "Música para quando as luzes se apagam" e volta para a 'cyber espaço' com o poético "ManifestoSilêncio" que eu já linkei nesta semana.

Aproveitem antes que ele 'se mate' novamente redescobrindo novas facetas 'bowieanas' e se deliciem com mais um trecho de um novo e inspiradíssimo post, que bem pode ser uma nova tattoo ou uma 'xavecada' bem original, decorem:

-"(...)E eu serei o seu Bob Dylan. Mesmo sem saber cantar. E eu cantarei baixinho para você se você prometer que finge não me escutar. E eu serei lindo para você. Se você fingir não me notar. E eu te amarei todos os dias se você fingir também me amar."

2 comentários:

alberto disse...

eu também sou muito fã dele e de seus textos. e entre o chorando e o manifesto houve um outro blog de curtíssima duração, heimweg, que in german means caminho de casa. bjs

viralata disse...

É mesmo li alguns posts deste tb! Parece que o ismael faz isso para desnortear mesmo nós, reles fãs! hehehehe
Bj querido