1 de mai de 2008

Questões Bovinas

Manual de sobrevivência na ilha, ao desembarcar faça logo a sua 'opção' e não se esqueça, NUNCA, em hipótese alguma qual a cor do 'coração' e da 'estrela'

Fui para Parintins duas vezes no ano passado a convite da Secretaria de Cultura de Manaus, uma para assistir a badalada festa do "Boi" no final de junho e outra em setembro para me reunir com os organizadores do evento para dar a minha opinião sobre a festa, que se somou a outras opiniões de pessoas ligadas a ambos os Bois no intuito de trazer mudanças e novidades a um evento já consolidado na cultura amazonense. Minhas impressões deste primeiro período você pode ler aqui mesmo.

Pois não é que 'fui sequestrado' de Manaus ontem por 10 horas, entre um intervalo nos ensaios de uma ópera e outra! Voltei para acompanhar a coletiva de imprensa do Secretário de Cultura de Manaus, Robério Braga, e ver o que resultou daqueles encontros de avaliação.
Claro que artisticamente só saberemos quando os dois Bois se 'enfrentarem' novamente no final de junho (e clamo aos deuses da mata para que amanse a verborragia dos lindos irmãos 'adversários' que narram os Bois!), mas já é visível que o Bumbódromo como existia ficará apenas na lembrança de quem já visitou o lugar.

Robério Braga, in loco, acompanha a reforma da primeira etapa do Bumbódromo parintinense, com seu 'Panamá' original e falando num 'IPhone', para me matar de inveja lógico!

Planejada para acontecer em três etapas, ano a ano, as reformas desta temporada mostrarão um certo conforto, maior espaço para o público, redivisão de camarotes e o mais importante a eliminação parcial da 'Tribuna', ou se preferirem 'cabeça-do-boi', que faz com que gigantescas alegorias entrem por portões laterais separadas para se juntar dentro da arena. Absurdo já absorvido por todos os artistas responsáveis pela direção de arte dos Bois.
Por mim aquilo vinha abaixo em segundos, mas essa é uma discussão que vem deste 2002 e tanto Vermelhos quanto Azuis são favoráveis, mas quando chega na hora... o argumento principal é que aquilo funciona como coxia (!?) para que não se descortine antes para o público as alegorias.

Parece que por aqui é assim mesmo, o 'decidido nunca é o definitivo' e sempre na última hora um Boi clama por mudanças ou volta atrás se sentindo prejudicado. Normal para um evento de tamanha adversidade e único ganha pão da cidade...mas êta gente desconfiada sô, nunca vi igual!

Abaixo 360º do início das reformas:

'Cabeça do Boi/Tribuna', obriga os Bois a fazerem manobras engenhosas com suas alegorias. Dá para ver que parte da arquibancada desta Tribuna já foi demolida restando apenas a parte de cima que funcionará como um 'observatório' para serviços de segurança e emergência. Para remediar a situação os carros alegóricos terão um pouco mais de espaço para entrar na arena, quem sabe numa terceira etapa isso seja implodido definitivamente.

Arquibancada do Caprichoso com readequação dos camarotes superiores...

...sequência, estes postes azuis (e que pela lógica 'bovina' é vermelho do outro lado!) existiam para duas coisas: suportes para caixas de som e luz e, claro, atrapalhar a visão do público. Serão sumariamente retirados, as caixas de som serão redistribuídas uns 12 metros para trás, abaixo dos corrimões das passarelas e a luz para baixo do telhado do camarote superior numa 'calha eletrificada'.

Divisão das torcidas, acima os camarotes do governador e patrocinadores. Existe uma grade que separa os Bois, esse espaço será ampliado para mais ou menos uns 2 metros, o que formará um corredor para técnica, câmeras, passagem de equipe etc.

Sequência, arquibancada do Caprichoso...

sequência final das arquibancadas, viram os postes vermelhos?

Um comentário:

Igor Santana disse...

Nunca fui a Parintins, mas parece ser interessante. Um dia, quem sabe, quando eu me acostumar com esse papo bovino, eu vá.