19 de jun de 2008

+ Crítica!

Pois é, nem só de revistas francesas vive o mundo lírico, depois da excelente divulgação para o Festival Amazonas de Ópera (e para mim também) publicada na conceituada "Opéra Magazine" chegou a vez da nossa brazuca e tão conceituada quanto, para o meio lírico, revista Concerto dizer como foi o XII FAO.
A crítica é assinada pelo Diretor-Editor da revista, Nelson Rubens Kunze, na edição de junho-08 que já está nas bancas, destacando em manchete interna "Ça Ira e Ariadne auf Naxos no XII FAO". Kunze acompanha o Festival há muitos anos e além de uma crítica geral sobre os espetáculos soube reconhecer a:
- (...) coragem do Festival Amazonas de Ópera em apresentar títulos novos, rompendo os limites do repertório tradicional - até por que o repertório tradicional ainda segue bem representado em seu programa (...)

Elogia a minha concepção para os dois espetáculos:

- Em Ça Ira: "(...) o que desperta a atenção no espetáculo é a encenação. Aqui sobressai o trabalho do diretor cênico Caetano Vilela, em uma inspirada e bonita montagem com uma ótima dinâmica de palco (...)"

- Em Ariadne auf Naxos: "(...) foi muito feliz a concepção cênica do espetáculo, que, como em Ça Ira, foi idealizada pelo ótimo Caetano Vilela. Há muitos anos ligado ao Festival Amazonas de Ópera, Vilela apresenta um trabalho cada vez mais maduro, integrando de modo muito competente a direção de cena propriamente dita com a iluminação - uma de suas especialidades (...)"

Kunze fez apenas uma ressalva:
- "(...) Ariadne não é uma ópera de soluções fáceis, e o palco giratório que "abre" o interior da mansão do mecenas vienense tem um efeito bonito e funcionou muito bem. A contraposição da ópera erudita com o espetáculo popular, contudo, apesar de seu maniqueísmo intrínseco, ficou um pouco caricatural com uma banda de punk-rock (...)"

Foi a visão que ele teve, não discuto sobre isso, até mesmo por que outros críticos falaram exatamente o contrário, desgostando ou não concordando com outras escolhas que fiz.
Quem me acompanha já leu por aqui no Blog sobre as minhas escolhas cênicas! Terminando a matéria ele fala sobre o "diferencial" que foi montar Ariadne tendo em vista a co-produção com o Municipal de SP.
Bem, sobre isso acho que todos já sabem né...

É isso aí! "Foi o que deu pra fazer".
Para o ano que vem têm mais, me aguardem!

4 comentários:

Anônimo disse...

"... ficou um pouco caricatural com uma banda de punk-rock..."

bom, devo dizer que a tal banda foi o que eu mais gostei na encenação, se é que a minha opinião vale alguma coisa Caetano querido...

by the way, acabei de ver você na reportagem do Chris Garneau na folha on line http://www1.folha.uol.com.br/folha/ilustrada/ult90u414165.shtml

beijos, elzira

viralata disse...

sua opinião vale sim baby!
e thanks pelo 'olhar' ahauahauaha, de 'papagaio-de-pirata' e tudo, kkkkk
Beijão

Anônimo disse...

Parabens pela LINDA repercussao do espetaculo.
Adoraria te-lo visto.
Mas entre NY e Manaus eh....
LOVE
te citei quando o Paulo Szot ganhou o Tony, mas vc nao deu a minima.
Ah o blog do UOL acaba amanha, entra o do IG
LOVE
G

viralata disse...

Luxo, Tendência!!!
Amor que bom que vc passou por aqui, saudades, te contarei muitas coisas qdo vc chegar! Adorei a citação, só vi agora mesmo, hehehehe já 'te atualizei' por aqui!
Merda no IG!
Beijos