19 de jun de 2008

Você não assistiu o Chris Garneau?

Chris Garneau num segundo momento com um acordeão elétrico. As duas violoncelistas sofisticaram bastante os arranjos originais para voz e piano

Quem me acompanha já ouviu eu falar dele por aqui, o lance é que Chris Garneau chega ao Brasil pelas mãos do meu amigo e produtor Ricardo Frayha para uma mini-mini turné, se apresentou ontem no Sesc Santana e hoje é o último dia para ver o fofo em Campinas, então corra 'bee'!

Bom, quanto ao show foi na linha 'bee' intimista ao piano, tipo Rufus, tipo Mika, tipo Antony and the Johnsons mas Chris se diferencia das 'amigas' pela sua timidez quase 'colegial'. Bem mais novo, não possui a segurança 'dramática' de trovador urbano que têm Rufus Wainwright nem a bichice teatral 'castratti' do Mika, talvez se identifique mais com Antony, embora sarcasmo não seja o que mais chama atenção na sua frágil personalidade. O que aproxima estes artistas é que absolutamente todos são excelentes compositores e intérpretes, e por falar em Antony o bis que Garneau nos reservou foi uma composição de Elliott Smith (segundo errata nos comentários), "Between the Bars (Hidden Track)", última faixa de "Music For Tourists", que Antony também cantou no show que fez por aqui no ano passado.

Cantando a maioria das canções do seu disco "Music For Tourists" as surpresas vêm de um "C-Side" recém lançado no ano passado (avidamente comprado ao final do show) do qual canta algumas canções e também da dupla de amigas violoncelistas que o acompanham e dão um ar bem mais sofisticado, musicalmente, ao show (como o do Antony também), refrescando bem mais as versões de estúdio.
Um pouco rouco, ou gripado, Chris Garneau agradecia de forma débil num "thank you" quase inaudível (teve também alguns "obrigado") que alternava com goles de chá e água apanhados do chão ao lado do piano.

Um dos momentos onde ele demonstrou mais força (tanto física quanto 'artística') foi quando, ajoelhado, tocou uma espécie de acordeão elétrico cantando sobre um relacionamento que não deu certo. Seus gestos crispados abrindo e fechando o 'fole' exigiam um outro registro vocal, um pouco mais 'encorpado' do que o frágil 'tatibitati' da sua doce voz de tenor.
Ter o palco inteiro iluminado com uma luz vermelha e ver aquela figura lamentando uma despedida se retorcendo jogado no chão... foi mesmo algo incrível.

Juro que achei que a vinda do moço lotaria o Teatro, pouco mais de 200 pessoas encheram o miolo da sala, um público 90% jovem e gay que não acreditou quando Garneau, ao final do show, foi para o saguão conversar com todos e autografar seus discos, não se esquivando em nenhum momento em sair bem na foto com qualquer 'bee' de plantão.

Ah, e que olhos são aqueles?! Gosh!!!

...

"...Drink up one more time
And I'll make you mine.
I'll keep you apart,
Deep in my heart,
Seperate from the rest,
Where I like you the best,
And keep the things you forgot..."

Between the Bars (Hidden Track)/Music For Tourists by Chris Garneau

2 comentários:

Anônimo disse...

"e por falar em Antony o bis que Garneau nos reservou foi uma composição sua, "Between the Bars (Hidden Track)" "

ah, só uma correção, Between the Bars é do Elliott Smith e não do Antony Hegarty ;)

viralata disse...

oops valeu! Vou corrigir!
Obrigado!
;)