9 de jul de 2008

"Foi o que deu pra fazer" em alemão! (ou, como eu mesmo disse: "Das Licht muss dramaturgisch wirken")

A foto que ilustra a entrevista alemã é antiga tirada num estúdio de gravação por Nelson Aguilar mas a 'busca' continua a mesma!

Ontem cedo recebi um e-mail do jornalista alemão Klaus Billand que me entrevistou, ainda em Manaus (num intervalo de ensaio) para a revista especializada em ópera "Der Neue Merker". Foi mais um bate papo amigável de um jornalista que sempre admirou o meu trabalho e já publicou a meu respeito tanto na Alemanha quanto na Finlândia (pasmem!). Quando abri o link da entrevista fiquei até encabulado com o destaque que recebi, sem falsa modéstia, esperava um box falando sobre a minha direção de "Ça Ira" e "Ariadne" seguido da crítica.
Pois não é que a entrevista rendeu? São duas páginas na Revista, publicada também no site que se você domina o alemão pode ler a íntegra aqui.

Destaco porém duas informações que muito me embeveceram, uma é sobre o resumo da minha carreira tanto como ator quanto diretor e iluminador (praticamente metade do meu curriculum está lá!), já que Billand acompanha o meu trabalho desde a montagem de "Die Walküre" (e à partir dali sempre quis me entrevistar), outra coisa é a "nota pessoal" que ele faz no final da matéria falando sobre a minha "Direção de Luz" para o cineasta alemão Herzog em "Tannhäuser" e encerrando com elogios dizendo o quão talentoso, "sympathischen" e modesto eu sou e como seria bom se eu trabalhasse na Europa com todos os recursos tecnológicos e modernos que eu teria a minha disposição, já que com tão pouco eu faço tanto!
Waalllll!!!!!!!

- "Ich wünsche diesem vielseitig interessierten und ebenso versierten wie fantasievollen Kenner der Lichtregie auf der Opernbühne weiterhin viel Erfolg, vielleicht auch einmal in Europa, wo er, wenn er dort wohnte, sicher schon lange „im Geschäft“ wäre. Durch seinen kompetenten Einstieg in das Handwerk der Openregie in Verbindung mit seiner hohen Qualifikation als Beleuchter eröffnen sich nun vielleicht eher neue Perspektiven für den ebenso sympathischen wie bescheidenen Künstler Caetano Vilela."


Pois é, e eu que já estava todo pimpão com a "Opéra Magazine" depois daquelas quatro páginas sobre o FAO e a minha direção para "Ariadne"... então só me resta dizer:
- "Danke schön!"

3 comentários:

Anônimo disse...

metido

duilio

geheimnis disse...

shineaLIGHT!!!!

viralata disse...

ai o sucesso né amigos... como diz a pastora é uma 'coisa quentinha'!!! ahauahauahauh
bjs