11 de ago de 2008

мир*

Parece que foi estratégia de despiste, bastou os olhos do mundo estarem voltados para Pequim com sua portentosa Olimpíada que os russos invadiram a Geórgia iniciando uma guerra que parece será tão longa quanto a da Chechênia.
A resposta russa com tanques e artilharia pesada contra a separação de um Estado ortodoxo vai contra todas as regras civilizadas para uma solução pacífica. Reforça assim o 'totalitarismo-light' de Putin que quer ter sob o seu comando um lugar que é estratégico para a 'alma russa'.
Os georgianos são uma minoria étnica - se auto declaram os 'verdadeiros russos' - mas extremamentes críticos quanto a política imposta por Putin.

A Geórgia, economicamente falando, é nada perto de outras fronteiras russas mas carrega o 'orgulho' de ter a cidade de Gori, local de nascimento do camarada Stalin. Ontem parecia uma cidade fantasma, 80% da sua população fugia dos bombardeios.

Resta agora que a 'força de paz', liderada pelo presidente francês Sarkozy obtenha sucesso na mediação do diálogo. Veremos.

...

*мир:
Ja disse por aqui que estudei russo por 8 meses para dirigir uma ópera do Shostakovich, adoro a cultura, o idioma e o seu povo. Com menos intensidade ainda estudo um pouco, tenho projetos futuros para montar outra ópera russa.
Uma das características da língua russa, derivada 90% do eslavo, são as associações de certas palavras com escrita idêntica e significados distintos mas que deveriam ser 'poéticamente próximos'.
Um exemplo claro é exatamente a palavra "мир" (pronuncia-se 'mir') que tanto significa PAZ quanto MUNDO. E que, pelas fábulas eslavas, deveria ser sinônimos.
Quem sabe em um outro mundo!

Nenhum comentário: