16 de ago de 2008

Eu sou, tu és, ELE É!

Ney (em foto oficial do meu amigo Ary Brandi), duas horas no palco 'ensinando a viver'

Acabei de voltar do show "Inclassificáveis" do 'über transformer' Ney Matogrosso, uma das coisas mais incríveis que vi nos últimos tempos e uma lição de vida, é sempre bom ouvir da boca de um sábio sobre aquilo que fazemos 'questão de esquecer'.
Nas vésperas dos meus quarenta anos Ney me deu um 'tapa na cara' e me ensinou que beleza, vitalidade, virtuosismo e talento não envelhecem com a idade:
- "Não vou lamentar a mudança que o tempo traz (...), já fui novo sim, de novo não
Ser novo para mim é algo velho, quero crescer, quero viver o que é novo sim,
O que eu quero assim é ser velho (...)"*

Que o artista é atemporal e exerce um papel catalisador na sociedade:
- "(...) Sou o novo, sou o antigo, sou o que não tem tempo
O que sempre esteve vivo
Sou o certo, sou o errado, sou o que divide
O que não tem duas partes, na verdade existe (...)"**

E que também pode se dar ao direito da 'irresponsabilidade em amar':
- "(...) Se eu não tenho mais nada a perder,
no meu peito eu tenho você
é nessa estrada que eu quero estar
eu quero o dia, a noite e o mar
e cantar (...)"***

E claro, no fundo no fundo nós...
- "(...) SOMOS TODOS INCLASSIFICÁVEIS!"****
...

* Lema/Carlos Rennó
** Mal Necessário/Mauro Kwitko
*** Um Pouco de Calor/Dan Nakagawa
**** Inclassificáveis/Arnaldo Antunes

4 comentários:

Igor Santana disse...

Que inveja Caê! Um dia eu ainda vejo um show dele! aff deve ser bão demais.

viralata disse...

Se ele for para Manaus vc não pode perder! Enquanto isso compra o dvd do show que é absolutamente fiel ao espetáculo ao vivo.
Bj
;*

afonso disse...

Adoro o repertório de "Inclassificáveis". Denso, politizado, e, sem dúvida, uma bela reflexão sobre o tempo, como vc mesmo assinalou nesse bonito texto. Aliás, o tempo está, direta ou indiretamente, presente em todo o espetáculo, parece girar em torno desse tema. Realmente um show impecável, performance belíssima de Ney e de sua banda deliciosa. Só discordo c/ o que vc disse sobre o DVD, pois não capta nem a metade da beleza do show e da energia de Ney em cena. Gravado no Canecão, que tem o pé direito baixo, achei que a exuberância visual do show ficou comprometida. Além disso, existe uma luminosidade no deslumbrante figurino de Versolato (parece a luz solar refletida sobre a água, lindo), que câmera nenhuma conseguiria captar. Nada como ver Ney de perto. Um abraço e parabéns pelo teu blog. O Guzik fala sempre dele e é bom mesmo!

viralata disse...

Fala Afonso obrigado pela visita meu, o Guzik realmente é um 'bom vizinho' e traz boas pessoas por aqui.
Acho que eu devo ter me expressado mal então qdo falei do dvd para o Igor, na verdade 'fiel ao espetáculo' qto ao repertório e gestual que é absolutamente o mesmo do show, como que ensaiado para ser umas peça de teatro-musical.
Claro que vê-lo ao vivo é infinitamente mais emocionante e nada apaga da memória aquele primeira 'coreografia' de "Mal Necessário", qdo ele começa a se soltar e parece uma ave dourada querendo voar! Incrível.
Abração e venha sempre!
;)