12 de set de 2008

A burocracia para termos 'o pão nosso de cada dia'

Esqueça a reportagem de capa da "Revista Exame" (sobre a remuneração dos altos executivos brasileiros) desta quinzena nas bancas e mergulhem nas páginas sinistras sobre a sanha arrecadadora da Receita brasileira e a burocracia que ainda tira o sono de qualquer empresário, não importa se pequeno, médio, micro ou invisível!

Em "Impostos 1" o lançamento que promete ofuscar as teorias de Einstein e o superacelerador LHC, trata-se do SPED (Sistema Público de Escrituração Digital) uma máquina que custou até agora 127 milhões de reais, usada por enquanto em 4800 empresas e suas filiais. Nada ficará de fora deste novo sistema o que tornará praticamente impossível sonegar impostos no Brasil.

Já em "Impostos 2" a indústria de pães "Wickbold" serve de exemplo para o pesadelo que é enfrentar a burocracia soviética do pré-guerra que teima em chegar na era da 'glasnost'. É de arrepiar o exército de contadores, técnicos, empresas e profissionais contratados para manter 'a firma em ordem'.
Papéis, carimbos, documentos, livros e livros, relatórios e relatórios que deixariam Kafka frustrado por não ter pensado em metade das exigências dos burocratas brasileiros para o seu "O Processo".

Bom, como lá na 'casa nova' eu não posso divulgar a senha de acesso para vocês acompanherem as matérias na "Exame", o faço aqui.
Por incrível que pareça a palavra-chave desta quinzena é MOSCOU
Entendeu?!

...

Falando em 'casa nova', visite o "Viralata Reloaded" e leia "A Guerra de todos nós" sobre os sete anos do 11/09 e a ignorância 'cristã' que teima em não entender culturas e civilizações milenares.

Nenhum comentário: