1 de set de 2008

Feliz com a popularidade? Stálin, Mussolini e Hitler também ficaram!

"E ele deixou-se estar a contemplá-la, mudo,
E tranqüilo, como um faquir,
Como alguém que ficou deslembrado de tudo,
Sem comparar, nem refletir.

Entre as asas do inseto, a voltear no espaço,

Uma cousa lhe pareceu
Que surdia, com todo o resplendor de um paço
E viu um rosto, que era o seu (...)"


Machado de Assis/A Mosca Azul


Se tivessemos uma oposição política séria no Brasil alguém deveria ler na tribuna do Congresso, por dever cívico, a matéria assinada pelo jornalista Carlos Marchi no "Estadão" de ontem, ainda na 'fila para embrulhar o peixe' e discretamente comentada pela imprensa: "Linha direta entre Lula e FHC evitou pedido de impeachment", o subtítulo é ainda mais esclarecedor: "Conversas secretas, intermediadas por Palocci e Bastos, ajudaram a esfriar caso do mensalão", a versão online você lê aqui!

Pois é da 'fila para embrulhar o peixe' que eu tiro a resposta para a 'indignação' do presidente Lula, sempre abusando da sorte, ao declarar em palanque montado no ABC:
- "Em 2005 veio a guerra contra o PT. Vocês sabem o que nós passamos, vocês sabem as infâmias, as leviandades (...) vocês sabem quantos companheiros nossos foram crucificados antecipadamente (...) não vou ficar em casa ouvindo as as bravatas do PFL e do PSDB".

Waall!!!! Tive até taquicardia pelo meu 'ódio contido', nem sei por onde começar, mas vamos lá. Na matéria de Marchi um lívido Palocci fez um "relato assustador" de que o "governo se sentia desorientado" depois que o publicitário Duda Mendonça confessou na CPI dos Correios que recebera do exterior dinheiro para a Campanha presidencial:
- "Está tudo perdido ... em nome da democracia e do futuro do País - que a oposição desse uma trégua para dar tempo ao governo consertar tudo"

Como sabemos houve a tal trégua, nunca houve um encontro entre Lula e FHC, para tratar 'diretamente' sobre o tema e , parece, Lula ficou aliviado, satisfeito e só posso pensar que eternamente grato a FHC.
Agora ficar bradando em palanques contra "bravatas, leviandades,..."?! Ora vá falar com os 'aloprados' do próprio PT senhor presidente!
...

A alegria de Lula pela incrível popularidade do seu governo (e dele próprio) o deixa anestesiado e cegamente mais ambicioso pelo 'trono' ofertado, nunca consegui vê-lo ou ouví-lo sem disassociar sua imagem dos patéticos 'personagens políticos' shakespearianos.
Nós, artistas de teatro, temos mania de evocarmos Shakespeare quando o assunto é: poder, ambição, disputa, traição, e outras 'virtudes menos nobres' para usarmos um eufemismo bem ao gosto dos 'companheiros', talvez porque o bardo tenha rompido com o conceito clássico de teatro grego e tenha inaugurado uma visão 'política' para o teatro, essa dimensão está presente em grande parte da sua dramaturgia, como no clássico "Ricardo III", nesta cena após o Rei ter sido assombrado em pesadelo pelos fantasmas de suas vítimas:

"(Ricardo acorda sobressaltado)

RICARDO III (Rei) — Dai-me outro cavalo! Ligai minhas feridas! Tende piedade, Jesus! Chiu, tão-só sonhava. Ó covarde consciência, como me atormentas! As luzes ardem azuis, é a meia noite dos mortos. Gotas frias de terror são no meu corpo tremente. De que me receio? De mim próprio? Não é mais ninguém aqui. Ricardo ama Ricardo, ou seja, eu e eu. E aqui um assassino? Não! Sim, sou eu! Então fuge. Quê, de mim próprio? Boa razão há, não me vá eu vingar! Quê, eu próprio contra mim próprio? Coitado de mim, eu amo-me a mim próprio. Porquê? Pelos bens que eu próprio a mim próprio ofereci? Oh, não, pobre coitado, antes a mim próprio tenho ódio por feitos odiosos que eu próprio cometi. Sou ruim vilão... mas minto, eu o não sou! Sandeu, diz bem de ti próprio! Sandeu, não uses de lisonja! Minha consciência tem milhares de línguas diferentes e cada língua me diz um conto diferente, e cada conto me condena como ruim vilão: perjúrio, perjúrio, no mais subido grau; assassínio, assassínio horrendo, no mais horrífico grau. Todos os pecados diferentes, todos cometidos em cada grau, se ajuntam diante o juiz todos bradando: “Culpado, culpado!” Em desespero cairei. Não há criatura que me ame, e se eu morrer, ninguém me lamentará... E porque o fariam, se eu próprio em mim próprio por mim próprio não encontro dó? Cuido que as almas de todos os que assassinei vieram a minha tenda, e cada qual me ameaçou que amanhã a vingança tombaria sobre a cabeça de Ricardo."

...

P.S.: Como seria impensável vermos o presidente Lula entrando numa Livraria para comprar um livro sugiro a ele e 'seus companheiros' que leiam a versão integral publicada pela "e-BooksBrasil.com" da obra do bardo inglês com tradução de Carlos A. Nunes, o endereço eletrônico é esse, boa leitura Sr. Presidente.

6 comentários:

Anônimo disse...

Caetano, sugerir a leitura de Shakespeare para o Sr. Presidente?
There, there,..., vamos com calma.
Senhor Presidente, que tal começarmos com "Paulo e Lalá" e depois "Camminho Suave"?
Caetano, acho que é por aí...
Bjs
Miguel

viralata disse...

Pois é, eu não aprendo mesmo! Já tinha recomendado antes "Titus Andronicus" mas acho que ninguém por lá leu... kkkkkkkkkk
bj

Celso Dossi disse...

Ele poderia começar com o E-book da Bruna Surfistinha.

viralata disse...

hauahau!!! esse é só pra qdo ele sair do governo.... kkkk
;)

Anônimo disse...

E a hora que o bicho pegar para o lado do Lula, Se é que vai pegar,vem com a mais covarde e vendida das apelações e que mostrará quem realmente é este sr.
"Meu reino por um cavalo"

viralata disse...

Querido aposto meus piercings que ele entrega a presidência sai por cima da carne seca e vira conselheiro internacional, quer valer?! abs