30 de out de 2008

A volta do vandalismo disfarçado de Arte!

"(...) Se não fossem os 'playboys' comprando tudo o que vêem pela frente não teríamos Warhol e a Pop Art (Crítica e estética! Melhor nem falar das famílias de 'playboys' da Idade Média, os Medicis), muito menos poderíamos conhecer hoje o marginal, pixador e grafiteiro Basquiat, à quem essa molecada ignorante bem nascida deve muito e muito.
Mas é besteira falar sobre isso, eles "são burros e não sabem nada", como gritava meu xará Caetano Veloso para uma platéia que o vaiava num destes festivais nos anos 60 o xingando de "vendido para o sistema". Waalll, 40 anos depois e essa juventude não aprendeu nada..."


Leia a continuação no "Viralata Reloaded" no post "Arte, Protesto e Manifestação"

28 de out de 2008

Praia de paulista

OLHAR URBANO

Saí do Teatro S.Pedro, na Barra Funda, onde estou em cartaz somente nesta semana com a ópera "Gianni Schicchi" e voltei caminhando para a minha casa cortando caminho pelo "Minhocão" numa bucólica calma de um domingo eleitoral


27 de out de 2008

A chave da cidade

Finda as eleições municipais, entregamos a chave da cidade para os ilustres prefeitos eleitos. Graffiti retirado do ótimo blog português "Porto Gráfico"

(...) "A vitória de Kassab, 'solteiro e sem filhos', foi mais uma lição política para o PT rever sua importância como 'alternativa de esquerda' no poder. Dúvido que reveja, a arrogância do partido encontrou um 'espelho' refletido na candidata 'vermelha', ela - assim como o partido - provou não estar à altura do cargo almejado, agindo de forma insensível, personalista, elitista e descontrolada..."

Leia a continuação no post "Final de Campanha: "and the winner is..." no "Viralata Reloaded".

24 de out de 2008

"Somos todos keynesianos"*

Frase do Economista John Keynes, que aliás volta à baila como personagem da vez com essa crise dançando solta pelo salão:
"As palavras precisam ser um pouco selvagens, pois representam o ataque do pensamento contra aqueles que não pensam"

Vamos combinar que não é só em difíceis momentos econômicos que precisamos de um pouco de 'selvageria verbal', existem outras crises em que um 'choque de rudeza' faz muito bem para chacoalhar a pasmaceira!
...

* Frase 'capa' da revista "Time" em 1965 (durante um momento de oscilação da economia americana) atribuída ao economista Milton Friedman que também foi usada por Nixon em 1971 para 'encerrar' um perído de crise, que sabemos durou pouco, bem pouco.

23 de out de 2008

Cinema: os 'iranianos' da vez e as meta-chatices

Preparados para mais um bloco "vou ver se perco" na "Mostra de Cinema"? Pois tome nota antes de perder também a paciência:

- "24 City" direção Jia Zhang-ke (China), em primeiro lugar digo que os asiáticos de um modo geral são 'os iranianos dos anos 90', ou seja 'cinema social-antropológico' chato. Trocaram a paisagem poeirenta iraniana pelas poluídas coreanas-chinesas mas a 'lerdeza' continuou a mesma, já disse que não tenho nada contra filme lento, mas é que esse ritmo 'de contemplação do tempo e do espaço' da grande maioria destes cineastas é resolvido de uma forma muito além da paciência humana ocidental. Claro que os críticos se masturbam com isso, Jia é o must do must de festivais pelo mundo afora (e da Mostra 'aussi' há tempos), seus insuportáveis "The World" e "Still Life" são de uma ingenuidade que só os principiantes cineastas 'da cota' têm o direito de cometer vez ou outra.
"24 City" é ruim como seria ruim e insuportável filmar dados de 'ordinary people' sendo entrevistados pelo censo ou ibge, imaginou? Pois é bem pior e desinteressante de se assistir.
Para ser justo os 19 minutos do curta que acompanha o filme, "A River", também dirigido por Jia é bem melhor e superior aos seus três últimos longas, portanto: há esperança!

- "A Musa" direção Ben Van Lieshout (Holanda), de um querido 'colaborador' que às vezes leva este viralata para passear: são 73 minutos inomináveis, inenarráveis e indescritíveis do pior lixo que os holandeses podem produzir, soube que os aplausos protocolares ao final da sessão no Arteplex com o diretor presente foi no mínimo constrangedor! Waalll!

- "Sinédoque, New York" direção de Charlie Kaufman (EUA), antes de mais nada pare de ler sobre este filme se você se encantou com "Adaptação", "Quero ser John Malkovich" ou "Brilho Eterno de uma Mente sem Lembrança", vai continuar, ok depois não me enche o saco! Kaufman foi o roteirista de todos esses filmes e estréia na direção com "Sinédoque...", ilusão minha achar que encontraria algo diferente, é o puro 'mais do mesmo': surrealismo raso, humor de 'soup opera', meta-cinema, meta-linguagem, meta-chatice!
A grande sorte é poder contar com excelentes atores do porte de: Philip Seymour Hoffman, Samantha Morton, Emily Watson, Michelle Williams e Jennifer Jason Leigh. Pena que as 'elipses estilísticas' da trama de Kaufman sejam tão frágeis, no fundo parece mesmo uma espécie de categoria nova que o cinema está para inventar, o 'cinema de auto-ajuda'. Assim como a literatura barata que assola as prateleiras esse tipo de filme vem embalado com um 'verniz pseudo-psicológico-moderno' que encanta cinéfilos de primeira viagem ou jornalistas estagiários descolados dos cadernos culturais dos jornais. Falei!

22 de out de 2008

Momento 'vou ver se perco'!

Saiba como manter os inimigos longe, fuja destes filmes da "Mostra" e se alguém disser que é imperdível finja que o celular tocou e corra baby, corra!
Guarde estes nomes:

- "Alvorada em Sunset" direção Jeff McGary (EUA), já estava programado para assistí-lo, inclusive com o ingresso em mãos com três dias de antecedência, quando fui alertado por um amigo jovem cineasta (não sei se ele gostaria de se ver citado por aqui, mas merci!). Descobri depois que mais quatro pessoas (de bom gosto) saíram no meio, então meu bem: FUJA!

- "Varsóvia Sombria" direção Christopher Doyle (Polônia), esse eu cai direitinho meu 'coeficiente Morfeu' foi de 15 minutos e quando despertei permaneci em choque por mais uns 10, daí foi mais divertido o saguão do cinema com outros cinéfilos incrédulos se perguntando: "maqueporraéessakaráio?!".
Ah, mas você acha filmes do leste europeu 'um luxo'? Bom, daí melhor mesmo é um tour pela Cracóvia, soube pela revista "Exame" desta quinzena que a cidade polonesa quadruplicou o número de visitantes nos últimos dois anos e, em 2008 deverá receber mais 2,5 milhões de turistas. E ainda custa metade dos preços para Londres e Paris! Mas cuidado com novos cineastas vagando pelas ruas, eu disse novos hein, isso não tem nada há ver com o denso Wajda.

- "Las Meninas" direção Ihor Podolchak (Ucrânia), primeiro um teste: você é capaz de resistir aos arrepios e gasturas provocados por um garfo arranhando um prato vazio numa sala com 'dolby surround'? Preciso dizer mais desta sessão de tortura que se propaga por horas a fio com distorções, pseudo-surrealismos, imagens oníricas e personagens que você não tem a menor idéia do "quem-quando-onde-porquê'?

Bom, este é só o começo, depois não vai dizer que eu não avisei! Aliás se você puder me avisar "o quê vou ver se eu perco" sou todo ouvidos, a maratona apenas começou!

P.S: Leia nos comentários, mais umas 'dicas para perder' que o meu amigo Miguel mandou!

20 de out de 2008

A Morte da Arte e a Certeza da Verdade

Desde quando eu fazia teatro amador (e isso faz mais de 20 anos!) que eu ouço que o teatro 'está morto', a arte 'está morta', que o cinema 'morreu'... pfui! Nem a história morreu como queria Fukuyama e muito menos a arte, o teatro, o cinema, etc... foram enterrados.

Ouvi de novo esse papo na fila da Mostra de Cinema de um estudante de cinema cujas espinhas no rosto, e a impaciência de segurar um 'tique' com a perna sempre 'telegrafando no chão', denunciavam sua saída da adolescência em busca de uma opinião definitiva sobre os caminhos do futuro que lhe espera. Adoro papo de fila, pode ser de banco, supermercado, correio, 'Mostra' então nem se fala, fiz vários amigos que mantenho contato até hoje. Mas desta vez preferi ficar ouvindo aquele estudante 'idealista' tomar um café com uma amiga de cabelo colorido e piercing na boca, 'tiritando suas pernas' e despejando um discurso inflamado e apaixonado sobre o fim do cinema. Nem sempre as pessoas devem ser contestadas muito menos aceitar opiniões de terceiros só porque para estes 'aquela é a verdade absoluta'. Prefiro seguir o 'pensamento socrático' de que existe a minha verdade, a sua verdade e "A Verdade"! E o papel do artista é exatamente questionar 'todas' estas verdades e os 'conflitos' destas verdades e confrontá-las com você leitor-público-expectador.

Pode ser que para determinado artista a arte tenha morrido e nada mais faz sentido, não porque o 'veículo' tenha morrido, talvez não seja o 'meio' adequado para realizar determinadas experiências.
Lembro da estréia do filme "Prospero's Books" do cineasta Peter Greenaway em que ele dizia que o cinema estava morto e que não tinha mais nada que inventar. "Prospero's" é genial, se não viu veja, compre a trilha e leia Shakespeare ("A Tempestade" é o pilar do filme), que com esse peça 'decreta' a morte da humanidade e o 'reinício' de um 'admirável mundo novo'. Grenaway é múltiplo e 'não cabe numa tela de cinema' expande seus conflitos para as artes visuais, multimídia, a performance ou qualquer forma até descobri-la 'finita' para os seus questionamentos.

...

Cena da ópera "Moses und Aron" de Schoenberg dirigida por Geral Thomas. A Arte morreu, viva a Arte!

Quantos artistas você conhece assim? Eu, centenas. Sou amigo de muitos e acompanho com prazer estas tragetórias artísticas-pessoais. Citando apenas três queridos companheiros que não cansam de me surpreender e que são verdadeiros 'assassinos por natureza' vejo em Gerald Thomas um ícone do teatro contemporâneo brasileiro que não teve seguidores, apenas muitos imitadores (eu inclusive) e dezenas de 'detratores' (palavra portuguesa estranha, seriam parte de uma milícia stalinista que destroem artistas com tratores?) "A Trilogia Kafka" e "M.O.R.T.E" são dois exemplos apocalípticos de como o poder do teatro é subestimado (tive febre depois de assistir a "Trilogia"), aquele tipo de teatro para Gerald já 'morreu' hoje ela 'usa' a blogosfera e cria uma nova dramaturgia, a 'dramaturgia online'.

Outro que muito admiro é Alberto Guzik, o conheci como crítico de teatro do "Jornal da Tarde", era para mim o 'novo' Décio de Almeida Prado, sempre elegante, correto e de uma leitura inteligível não só para a 'classe', Guzik é um 'gentleman'! Pois não é que ele 'se ressuscitou' como ator 'alternativo' no eixo do renascimento do teatro de grupo em São Paulo, em plena Praça Roosevelt?! 'Matou' o crítico e foi ao teatro!
E não contente divide suas 'crises de criação' no seu blog com a realização de mais um livro?

Agora Marcelo Tas, 'last but not least', amigo que tive o prazer de dirigir e trabalhar em alguns espetáculos. É engraçado sair com o Tas pelo Brasil em tourné, é criança que pede para tirar foto, o pai da criança que pede autógrafo, o taxista que discute suas opiniões,... Tas é um caso de 'contágio genealógico' em várias famílias. Muitos 'cresceram' com ele assistindo seus programas infantis, viraram adolescentes ouvindo o que ele tinha a dizer sobre informática e tecnologia e quando adultos não acreditavam naquele repórter cara-de-pau deixando políticos sem graça (e isso não é só agora com o sucesso do CQC, vem de muito antes viu crianças?). Ele é também um caso clínico de 'suicídio das múltiplas personalidades' e não é só porque ele é um inquieto escorpiano, na verdade ele 'camufla' todo o seu talento à serviço de um 'novo meio'.
Foi Marcelo Tas (ator, diretor, roteirista, jornalista, apresentador,...) quem me disse uma vez, depois que eu tive uma 'crise de identidade artística' que:
- "a internet dá coerência para a sua vida".
Se não vejamos, você estréia um espetáculo (ou qualquer coisa) põe no youtube, assisti a um filme posta o que achou no blog, fotografa a cidade publica no site e todos sabem quem você é, o que você faz, o que você fez e a crise... se desfez!

...

Queridos, quando ouvirem que qualquer coisa artística morreu, saiba que mais cedo do que você pensa algum 'highlander' aparecerá para ressuscitá-la rapidinho.
Prometo que você não ficará de 'luto' por muito tempo.

Em Busca da Cirurgia Plástica Perfeita!

Mcdormand e Pitt (sim, o cabelinho é 'à la' Pepeu Gomes "eu também quero beijar"!), impagáveis! Trabalham numa academia de ginástica enquanto se envolvem com a CIA, os russos e... você vai ver!

Qualquer resumo que se faça de "Queime Depois de Ler" não dará a menor idéia do que espera o espectador já acostumado com o nonsense dos irmãos Coen.
Joel e Ethan são o que mais se aproxima dos ingleses do "Monty Python" com seus roteiros rocambolescos e hilários (mesmo eu tendo 'pescado' no final do excelente "Onde os Fracos Não Têm Vez") e ainda tem como 'parceiros' gente do calibre de George Clooney (hilário com seus 'tiques e tocs'), Frances Mcdormand (mega-hilária 'em busca da cirurgia plástica perfeita'), Brad Pitt (über hilário como um 'personal trainer' entre o adolescente e o limítrofe), John Malkovich (sensacional num momento 'dias de fúria'), Tilda Swinton (musa-drama que precisava dar um tom mais solene senão tudo descambaria num picadeiro).

E têm mais, muito mais, mas é melhor você assistir que eu não conto mais nada... pensando bem só digo uma coisa:
- O que você faria para ter uma cirurgia plástica perfeita?
...

Leia no "Viralata Reloaded" o post "Apenas por Louis Garrel e nada mais", sobre a 'bomba' que o pai do über Louis Garrel aprontou para o filho e que nós, 'fãs invertebrados' temos de assistir!

19 de out de 2008

Sessão Dupla Mafiosa

Na 'batalha' entre os filmes-máfia italiana "Il Divo" x "Gomorra", ganhou "Il Divo"!

Matteo Garrone diretor de "Gomorra" traça um 'painel' quase documental sobre a máfia napolitana, aliás se fosse documentário seria muito mais interessante, do jeito que está fica um desfile de personagens que sabemos que não terão um bom final. Embora o filme seja 'seco e cru' isso não é razão para sua falta de empatia ao tratar de um tema tão presente não só na política italiana. Faltou cinema e sobraram 'fatos', como disse meu amigo Miguel chegou bem perto de um 'globo repórter'.

Não se deixe enganar pelo 'bello ragazzo' de "Gomorra", essa cena é rápida e o resto é um grande 'globo repórter' sobre a máfia.

"Il Divo" dirigido por Paolo Sorrentino transborda teatralidade e impõe uma 'mis-en-scène' de encher os olhos. Por incrível que pareça os 'fatos' da máfia romana são até mais detalhados, complexos e verborrágicos que "Gomorra", mas nos é apresentado com doses de humor e seriedade só vistos nos primeiros filmes de Tarantino. Sem contar que o filme 'É' Toni Servillo, aqui protagonista absoluto na pele do político sarcástico Giulio Andreotti.
Aliás assistir aos dois filmes, assim numa sessão dupla, além de dar uma dimensão histórica da recente história política italiana, engradece o ator que está praticamente irreconhecível em cada um dos filmes.
A trilha sonora de "Il Divo" é um prazer à parte, você acredita que o diretor ainda volta com o hit dos 80' "dá, dá, dá" pra você sair assobiando no final da sessão!?
Tente assistir, já que o filme ainda está sem data de estréia no Brasil.

Toni Servillo, excelente trabalho de 'composição' em "Il Divo" e também presente em "Gomorra", merece todos os elogios possíveis.

16 de out de 2008

A Hora e a Vez dos 'Xiitas Culturais"

Outubro já chegou com tudo para os 'xiitas culturais'! A Mostra de Cinema já vai começar e a minha agenda neste ano está mais apertada do que em anos anteriores, é reunião daqui, encontros dali, projetos acolá, ópera estreando, peça em cartaz,... e eu quero assistir o máximo de filmes que puder!

Apertando os horários meu fim-de-semana será assim:

- "Alexandra" última direção do russo genial Sokuróv. 17/10 - Ig Cine (22h20)
- "Las Meninas" este faz parte daquelas apostas esquisitas que a gente faz na Mostra, produção ucraniana dirigida por Ihor Podolchak. 18/10 - Arteplex 4 (17h10)
- "Gomorra" o esperado filme-máfia do italiano Matteo Garrone. 18/10 - Arteplex 1 (19h20)
- "Il Divo" mais um filme-máfia elogiado do também italiano Paolo Sorrentino. 18/10 - Arteplex 2 (22h40)
- "A Fronteira da Alvorada" última direção de Phillipe Garrel (o mesmo do excelente"Amantes Constantes"), também pai do über Louis Garrel , que evidentemente está em cena, o que já paga a sessão d'accord! 19/10 - Reserva Cultural 1 (18h40)
- "Queime Depois de Ler" mais uma maluquice dos irmãos Cohen. 19/10 - Unibanco 3 (21h10)

Juro que acharei tempo para escrever sobre estes e, senão todos pelo menos a maioria dos filmes que eu puder assistir.
Nos encontramos por aí!

15 de out de 2008

O Político Solteirão

O Político Solteirão com a Mãe do seu 'Melhor Amigo', o Amante

Agora, uma crônica política, que omitirei os nomes já que não é da minha conta, mesmo a-d-o-r-a-n-d-o uma fofoca, e eu digo: é verdade, a mais pura verdade!
Um certo político quarentão de uma obscura cidade 'ditonga' sempre foi 'solteirão' e todo mundo sabia exatamente o por quê, pois não é que para a surpresa geral quando ele assumiu um cargo importante resolveu casar com uma mulher que por sinal era mãe 'do seu melhor amigo solteirão'...

O resto da história você lê no "Viralata Reloaded", "É tudo verdade, mas não é da minha conta"

13 de out de 2008

Ah, Dna Marta...

"Se todos conhecessem a intimidade sexual uns dos outros, ninguém cumprimentaria ninguém."
Nelson Rodrigues

Marta Suplicy está entrando no terreno delicado da 'moral e dos bons costumes' com sua campanha melíflua e pseudo informativa. Das duas uma, ou ela não aprendeu nada com o 'seu chefe' Lula ou simplesmente não tem mais 'bala na agulha' para atacar e resolveu apelar mesmo para as 'senhoras de Santana', guardiãs da tríade 'tradição-família-propriedade'...

Leia no "Viralata Reloaded" a íntegra do post: "O golpe baixo da 'moral e dos bons costumes"

11 de out de 2008

Daí eu acordei...

Feliz "Dia das Crianças" bees!

Eu digo: Bryan Thomas! Porque não sou obrigada.

Eles, os evangélicos de novo!

Interpretação do tema "Religião" by Maurício Chiminazzo. O quê pretendem esses evangélicos da ala 'xiita', sempre tão bem (em quantidade lógico!) representados em todas as esferas do governo?

Leia no "Viralata Reloaded" sobre o encontro do Presidente e da candidata Marta (Kassab já teve o dele e eu comentei também!) com os evangélicos, que novamente deram 'o melhor do seu circo de horrores', em "Antes só do que mal acompanhado" .

10 de out de 2008

Corpo a corpo

Direto do "Bagaça Pop", bem popular e engraçado lá nos blogs da Abril, afinal "eu não sou obrigada" é o lema!

É, vai precisar de muito manequim pra virar o jogo... hauhauaha

9 de out de 2008

Ando meio Nando!

Apenas para 'desanuviar' o clima eleitoral dos últimos 'posts':
- "(...) hoje eu vou sair por aí, anunciando que o sol não vai mais se deitar..."

Enjoy

Na 'faixa'!

Foi-se o tempo em que era fácil retratar a 'classe social' dominante/oprimida no Brasil. Acima o início da 'estética social' com Tarsila do Amaral em 1933 com "Operários", retratando os mesmos 'amontoados' pela 'força da grana que ergue e destrói coisas belas' da indústria paulista.

Leiam no "Viralata Reloaded" qual a 'faixa social' que vai decidir as eleições municipais tanto no Rio quanto em São Paulo: "Em busca da 'classe' perdida" .

7 de out de 2008

Mais eleições/Parte 4 (O quê querem os vices 'gêmeos' Alda e Aldo?)

Tendo em vista a histórica importância dos 'vices' no Brasil vou 'quixotescamente' fazer uma campanha para 'à la' americana termos um (ou vários) debates públicos com os atuais (who?) vice-candidatos à prefeitura de São Paulo.
Se não vejamos, caminhamos com vices desde (antes houveram outros, mas vamos começar por este) a histórica renúncia de Jânio Quadros (nos anos 60) que vagou a presidência para o seu vice João Goulart, presidência esta que lhe foi 'tirada' pelos militares (com apoio dos americanos, sempre eles!) e que em momentos de transição menos tensos, Tancredo (aquele que foi sem nunca ter sido) 'passou' para o seu vice Sarney, que depois de dois mandatos entregou a Collor que 'empixado' foi obrigado a entregá-lo ao seu vice Itamar.

Nem preciso dizer que NENHUM desses vices tinham planos, projetos ou até mesmo vontade de seguir adiante governando o País, alguns, picados pela 'mosca azul', se empolgaram e ficaram até mesmo mais do que deveriam.
Bem mais recente em escala estadual e municipal paulista, Covas morreu deixando o cargo a seu vice Alckmin (que se reelegeu e hoje está sem rumo, perdido mesmo!) e Serra que ganhou numa última eleição a Prefeitura resolveu deixar para o seu vice Kassab e concorrer (e levar também) ao Governo do Estado. Agora responda rápido, quem assumiu a Prefeitura quando Celso Pitta foi 'empixado'?
Tst, tst, tst, você nunca ouviu falar na mandato relâmpago de Régis de Oliveira? Tá vendo como é bom perguntar antes "me diga com quem tu andas"?

Pois bem, depois da aula da 'tia' pergunto: quais são os planos dos vices de Kassab e Marta? Não que eu ache que algum dos dois morrerá durante o mandato (toc, toc, toc,) mas com as eleições presidenciais de 2010 por aí e um bom começo de governo eu aposto as minhas jóias como Marta não piscaria os olhos duas vezes (deixo a piada pronta para vocês, ok?!) em se candidatar à presidência deixando o 'pai do dia-do saci' de presente para os paulistanos. Quanto a Kassab eu suspeito (embora eu não tire o meu colar do pescoço!) mas duvido que ele se arriscaria numa aposta tão grande, ele sabe que não tem, ainda, projeção nacional.

Mas voltando aos vices, o que pensam respectivamente Alda Marco Antônio/Kassab e Aldo Rebelo/Marta? 'Gosh', será um complô de 'gêmeos' ou uma espécie de condição 'numerológica' para assumir o cargo na Prefeitura?!
Como a história já nos ensinou é bom a gente não se distrair com 'esses pequenos detalhes' pois como bem disse Clóvis Rossi na "Folha" desta terça-feira, "gente distraída costuma apanhar mais".
Acho que já apanhamos o bastante, não?

P.S.: Como bem lembrou o meu amigo Miguel, nos comentários, acabei me esquecendo do vice Claudio Lembo, que assumiu o Estado quando Alckmin saiu em campanha presidencial (e perdeu).

Ainda sobre as eleições/Parte 3 (Vereadores SP)

Como bom Viralata guio os 'apenas' 16 novos vereadores eleitos (menor número em décadas!) em SP a encontrar o caminho do novo empreguinho. Como a função deles se resumirá apenas em dar nomes de rua pelo menos vão se acostumando a se orientar pelo guia da cidade! Ah, é logo ali entre a Santo Antônio e a Jacarei, viu?!

Teremos as mesmas caras na Câmara Municipal de São Paulo num dos menores índices de renovação em décadas (segundo análises dos principais jornais paulistas) e sabem o por quê? 'Ninguém tá nem aí para quem vai batizar praça ou dar nome de rua na cidade'! Sim já que segundo uma análise (esta eu mesmo fiz, semanas atrás visitando o site da Câmara!) mais apurada é exatamente isso o que fazem os Vereadores da maior cidade do País.

A reeleição de Wadih Mutran (5º mandato), por exemplo, atual corregedor que acha que esse cargo deveria ser extinto já que não há nada para apurar é de um cinismo atroz. Junto com ele a 'bancada dos caciques' reeleitos está Jooji Hato (7º mandato, cujo nome é mais popular nos muros pixados em vários bairros), Tripoli (6º mandato da 'cota' do PV) e o 'clã' dos Tatto, representado por Arselino Tatto (6º mandato) há vários outros mas comecei a ficar enjoado...
Os 55 parlamentares deveriam representar a diversidade da cidade de São Paulo, mas a 'força' da bancada religiosa parece crescer a cada dia, desde cantora gospel até missionários e membros ligados a fundadores de igrejas milionárias estão na Câmara para reforçar uma bancada proselitista que se soma a outras do 'baixo clero'.

A chegada resfolegante do 'baby boomer' Gabriel Chalita com seus mais de 100 mil votos só aumenta o cerco da imprensa à sua controversa figura, rompida a discrição da sua passagem como Secretário da Educação (bem, bem irregular para dizer o publicável!) do governo Alckmin, Chalita agora tem de se explicar sobre uns 'contratinhos excusos' feitos na sua gestão que começaram a estourar por agora, um bom advogado seria de bom tom.

A desgraça poderia ter sido pior? Sim, afinal ficaram de fora aberrações como Sérgio Mallandro, drags queens, Havanir, clones, atrizes pornôs, etc..., bom isso também não significa muito já que Agnaldo Timóteo (oops, perdi a aposta, eu disse a um amigo que seria capaz de fazer este post sem citar o nome dele!) foi reeleito para o seu importantíssimo segundo mandato! Waall!

Eleições pelo Brasil

Leia no "Viralata Reloaded", "Eleições pelo Brasil/Parte 1 (Bahia, Minas, Manaus e Ceará)
"Eleições pelo Brasil/Parte 2 (São Paulo e Rio de Janeiro)

6 de out de 2008

Minorias e Maiorias: Uma só Ditadura

Leia também no "Viralata Reloaded" o que dois filósofos franceses têm a ensinar aos EUA em "E por falar em crise americana...".
O filósofo aristocrata Tocqueville desbrava o território americano em 1831 para entender o sistema penitenciário e descobre muito mais que isso deixando como saldo "A Democracia na América". Já o seu conterrâneo Bernard-Henry Lévy refaz o mesmo caminho 172 anos depois percorrendo por quase 1 ano 20 mil quilômetros de uma América pós 11/09, vivendo a campanha eleitoral de 2004 e terminando sua jornada pouquíssimo tempo antes da devastação do furacão Katrina.

Tocqueville cunhou a frase famosa ao descobrir o 'modus vivendi' americano: "a democracia é a ditadura da maioria", esse mesmo 'modus' passados mais de cem anos se transforma no que hoje conhecemos como 'american way of life' o que deixa Lévy a vontade para 'reverter' a frase famosa para a "onipresença ditadura das minorias", reflexo evidente não só na América, claro.

5 de out de 2008

A Mega Crise e o Mega Investidor

Se há duas semanas atrás a Crise Econômica Americana assolou a nossa imprensa com capas e manchetes nos principais veículos de comunicação sem ao certo saber como o Brasil seria (ou estaria) afetado, nesta semana chegam às bancas capas e manchetes já com uma definição um pouco mais clara de como tudo aquilo nos afetou e afetará SIM!

Na "Veja" a capa é "O Tamanho do Estrago (Colapso Financeiro? Não. Recessão? Talvez. Depressão Econômica? Deus nos Livre.)", já na quinzenal "Exame" o recado é mais direto: "A Crise já está entre nós".
O recado óbvio para o Brasil é que o nosso crescimento interno será com certeza muito menor no balanço do próximo ano. Se neste ano apagamos as velas felizes de um 'bolo' de quase 5% no próximo teremos de nos contentar com uma 'fatia' de 3 e alguma coisa, e olhe lá! Aos consumidores e empresas a falta de crédito no mercado já preocupa e traz prejuizos e por aí vai.

Numa jogada de marketing fenomenal, também fomos 'assolados' (junto com toda a imprensa internacional!) pela imprensa escrita ("Valor Econômico", "Veja", "Exame", "Estadão", etc) sobre o lançamento da biografia do megainvestidor bilionário americano Warren Buffett (acima illustration by Lara Tomlin) se você ainda não ouviu falar dele isso está com os dias contados, em breve seu livro desbancará Alan Greespan "A Era da Turbulência" (já li e recomendo, mesmo que seja para discordar, como discordo de muitos pontos de vista do "Sr. ex-FED") das 'pilhas' que destacam Biografias na linha: "fui pobre, persisti, fiquei rico e fudi meio mundo". A-d-o-r-o!

Buffett não dá ouvidos a especuladores, não caiu no 'conto das empresas de tecnologia' que fizeram milhões e uma 'bolha' histórica de prejuizo financeiro - e suicídios para muitos, influencia boa parte dos investidores triliardários com seu estilo anacrônico de fazer negócios e ainda ousa no seu futuro testamento (hoje ele está com 78 anos), no melhor estilo de mecenato que só os EUA sabem produzir, deixando 80% de sua mega-fortuna aos cuidados da Fundação Gates de seu amigo Bill -Microsoft- Gates.
Warren Buffett é a cara e o símbolo do 'american way of life' e nos mostra pelo seu estilo de vida (tanto nos negócios quanto na vida pública) a resposta de como sair da crise. Crise aliás provocada não só por especuladores inescrupulosos do capitalismo selvagem mas também por simples cidadãos americanos com 'jeitinho brasileiro' levando vantagem num sistema que estava com os dias contados para falir (hipotecas imobiliárias, crédito fácil, etc...).

Siga os "lemas de Buffet", e caso não consiga amealhar uma fortuna saiba que pelo menos você aprendeu a dizer "Não" para as oportunidades fáceis:

- "Seja audacioso quando os outros estão com medo e tenha medo quando os outros estão audaciosos"
- "No curto prazo, o mercado funciona como uma banca de apostas. No longo prazo, tende a ser ponderado"
- "O Mercado está aí para serví-lo - não para dominá-lo"

E a minha preferida:
- "Nunca ouço analistas. Wall Street é o único lugar onde pessoas que andam de Rolls-Royce tomam conselhos de quem anda de metrô"

Não vejo a hora de ler Warren Buffet!
...

A senha de acesso para ler a versão online da revista "Exame" desta quinzena é: DUSHANBE

4 de out de 2008

Quer pagar quanto?!

Direto da "Uol Notícias": "Igreja em Ribeirão Preto vai aceitar dízimo pago em cartão de crédito"!!! Acho que me choquei à toa, mas vem cá, será que os padres podem parcelar meus pecados em 12 vezes sem juros? Porque eu só estou esperando isso para poder frequentar a missa!
Acho que assim posso 'quitar' um dos 'círculos do inferno' e aguardar quietinho no purgatório.

1 de out de 2008

Coexistence

Fim do Ramadã para os muçulmanos, início do Rosh Hashana para os judeus. Aos meus amigos, leitores e vizinhos de todas as religiões e credos os meus mais sinceros votos:
Feliz Eid e Shana Tova