5 de out de 2008

A Mega Crise e o Mega Investidor

Se há duas semanas atrás a Crise Econômica Americana assolou a nossa imprensa com capas e manchetes nos principais veículos de comunicação sem ao certo saber como o Brasil seria (ou estaria) afetado, nesta semana chegam às bancas capas e manchetes já com uma definição um pouco mais clara de como tudo aquilo nos afetou e afetará SIM!

Na "Veja" a capa é "O Tamanho do Estrago (Colapso Financeiro? Não. Recessão? Talvez. Depressão Econômica? Deus nos Livre.)", já na quinzenal "Exame" o recado é mais direto: "A Crise já está entre nós".
O recado óbvio para o Brasil é que o nosso crescimento interno será com certeza muito menor no balanço do próximo ano. Se neste ano apagamos as velas felizes de um 'bolo' de quase 5% no próximo teremos de nos contentar com uma 'fatia' de 3 e alguma coisa, e olhe lá! Aos consumidores e empresas a falta de crédito no mercado já preocupa e traz prejuizos e por aí vai.

Numa jogada de marketing fenomenal, também fomos 'assolados' (junto com toda a imprensa internacional!) pela imprensa escrita ("Valor Econômico", "Veja", "Exame", "Estadão", etc) sobre o lançamento da biografia do megainvestidor bilionário americano Warren Buffett (acima illustration by Lara Tomlin) se você ainda não ouviu falar dele isso está com os dias contados, em breve seu livro desbancará Alan Greespan "A Era da Turbulência" (já li e recomendo, mesmo que seja para discordar, como discordo de muitos pontos de vista do "Sr. ex-FED") das 'pilhas' que destacam Biografias na linha: "fui pobre, persisti, fiquei rico e fudi meio mundo". A-d-o-r-o!

Buffett não dá ouvidos a especuladores, não caiu no 'conto das empresas de tecnologia' que fizeram milhões e uma 'bolha' histórica de prejuizo financeiro - e suicídios para muitos, influencia boa parte dos investidores triliardários com seu estilo anacrônico de fazer negócios e ainda ousa no seu futuro testamento (hoje ele está com 78 anos), no melhor estilo de mecenato que só os EUA sabem produzir, deixando 80% de sua mega-fortuna aos cuidados da Fundação Gates de seu amigo Bill -Microsoft- Gates.
Warren Buffett é a cara e o símbolo do 'american way of life' e nos mostra pelo seu estilo de vida (tanto nos negócios quanto na vida pública) a resposta de como sair da crise. Crise aliás provocada não só por especuladores inescrupulosos do capitalismo selvagem mas também por simples cidadãos americanos com 'jeitinho brasileiro' levando vantagem num sistema que estava com os dias contados para falir (hipotecas imobiliárias, crédito fácil, etc...).

Siga os "lemas de Buffet", e caso não consiga amealhar uma fortuna saiba que pelo menos você aprendeu a dizer "Não" para as oportunidades fáceis:

- "Seja audacioso quando os outros estão com medo e tenha medo quando os outros estão audaciosos"
- "No curto prazo, o mercado funciona como uma banca de apostas. No longo prazo, tende a ser ponderado"
- "O Mercado está aí para serví-lo - não para dominá-lo"

E a minha preferida:
- "Nunca ouço analistas. Wall Street é o único lugar onde pessoas que andam de Rolls-Royce tomam conselhos de quem anda de metrô"

Não vejo a hora de ler Warren Buffet!
...

A senha de acesso para ler a versão online da revista "Exame" desta quinzena é: DUSHANBE

Nenhum comentário: