14 de nov de 2008

'Nonada' com Gerald Thomas (*ou: 'Não demorou muito para eu descobrir o que as pessoas querem dizer com a minha destruição')

Nonada!
Como diria Guimarães Rosa no início do livro-painel "Grande Sertão: Veredas" ficamos literalmente "no nada" após o último 'enter' da BlogNovela apresentada por Gerald Thomas/Cia. de Ópera Seca no Sesc Paulista com transmissão simultânea pelo portal Ig.

No post anterior alguns amigos me 'apertaram o piercing' dizendo que nada disso era inédito, que até filme baseado em Blog já havia estreado assim como outras produções também foram transmitidas pela internet. Sei disso, inclusive participei de dezenas! Dirigi com Marcelo Tas - o 'rei da multimídia' - uma ópera e uma peça que foram transmitidas ao vivo pela rede, sei de projetos de amigos que se conectaram entre três países e simultâneamente apresentaram um espetáculo com links ao vivo em fuso horários diferentes, também assisti na Europa experiência semelhante com Robert Lepage, etc, etc..., o que conta aqui é a DRAMATURGIA que Gerald propõe.

Quem acompanha o seu Blog sabe que a participação dos leitores é uma ferramenta à parte no diálogo que Gerald propõe com eles. Às vezes pode até parecer que são um bando de 'xiitas culturais' perigosíssimos (por vezes são sim, até eu já tive comentário 'clonado' por lá), mas não conheço outro espaço na internet que provoque tantas 'teses dramatúrgicas' como lá.
E nisso a experiência beckettiana de Gerald é indispensável para tornar esse material 'adaptável' para os palcos.

Mais uma vez Fabiana Gugli comanda o caos tendo, dentre outros companheiros, os excelentes Duda Mamberti (às vezes um Vladimir e por outras um Estragon do clássico beckettiano) e Pancho Cappeletti (o reverso do travestismo, concentrando todo o universo masculino sempre presente na obra de Gerald, principalmente depois da ópera Mattogrosso, parceria com Philip Glass).
O que vemos e ouvimos é o cotidiano disfarçado em acasos, a interação cyber refletida nos conflitos mundiais e uma universalidade que pode parecer simplista quando se lê os comentários para os posts escritos por Gerald. É simples sim, mas poucos são capazes de interpretar esses simples sinais.

O regionalismo universal de Guimarães Rosa, o 'newspeak' de Orwel e a 'dramaturgia online' de Gerald sempre serão difíceis para os menos atentos. ARTE é difícil, TEATRO é difícil, LITERATURA é difícil de se fazer, assistir ou produzir! Claro que não estou falando isso 'para' o Brasil que tem um ministério da Cultura 'aculturado' em que se exige "contrapartida social" do artista.
Contrapartida Social? E qual é a contrapartida cultural que os brasileiros recebem? O tombamento da receita do acarajé, da capoeira, dos quilombolas (de repente viramos uma nação de quilombolas!); é sobre tudo isso e muito mais que os leitores do Blog do Gerald falam, discutem, brigam, e não só pelo prazer de discordar mas de unir, propor, combater,...
...

Mais uma vez Gerald usa Led Zeppelin como 'leitmotiv' de um espetáculo, compreensível, afinal o que mais podemos dizer depois dos versos de Black Dog:
- "(...) watch your honey drip, can't keep away (...)
*Didn't take too long before I found out, what people mean my down and out..."


...

Alguns clics que fiz do último ensaio que fizemos para a equipe do Ig, para ajustarem as imagens com os 'camera-men', antes de abrir para o público, enjoy!



4 comentários:

Anônimo disse...

MEU DEUS DO CEU QUE COISA LINDA

AMANHA DE MANHA EU PECO PRO VAMP IMPORTAR ISSO PRO MEU,....
DEUS DO CEU COMO VC EH EMOCIONANTE CAE....

SEM PALAVRAS QUERIDO

SEM PALAVRAS
LOVE
G

viralata disse...

Adorei participar desta loucura!
Bj e obrigado!
;)

Sandra disse...

CADA FOTO MARAVILHOSA!!!!!!!!!!!!!!!
VOCÊ ARRASA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

viralata disse...

Bem vinda Sandra!!!!
Obrigado mais uma vez!
;)