4 de jan de 2009

Se 'Oriente', o ano está apenas começando!

Não, isso não são fogos de artifício em comemoração ao ano novo e sim um foguete disparado por Israel que explode sobre Gaza. Foto: Baz Ratner/Reuters

Catzo, tá difícil entrar no ritmo de ano novo!
Este ataque em Gaza me broxou, olho em volta da minha mesa e vejo os livros que aguardam leitura nestas férias e dentre eles está "Paz e Guerra no Oriente Médio" de David Fromkin, que comprei antes do meu 'exílio no interior'. As notícias nos jornais diários desde o primeiro ataque de Israel 'refrescaram' o conteúdo do livro de Fromkin e mais uma vez me pergunto: Porquê?
O Maestro Daniel Barenboim ('massacrado' por reger Richard Wagner em Israel em 2001!!!) escreveu uma carta aberta publicada no dia 1º de janeiro no "The Guardian" e traduzida para o "Estadão" sábado passado, em que resume seus três desejos para este triste início de ano:

- "O primeiro é que o governo de Israel se conscientize, de uma vez por todas, que o conflito no Oriente Médio não pode ser resolvido por meios militares. O segundo é que o Hamas se conscientize que não defenderá seus interesses pela violência, e que Israel está aqui para ficar. O terceiro é que o mundo reconheça que esse conflito não é igual a nenhum outro em toda a história (...)"


Não é e nunca foi! Mas a história se repete como uma tragédia cíclica. Bush está indignado e EXIGE o cessar fogo imediato... pfui, o mesmo cessar fogo que o mesmo Barenboim exigiu quando o governo americano apoiou o Hamas nas eleições para derrotar o Al Fatah! Isso ainda pode sair nas reportagens "para entender o conflito", mas está bem claro ainda na minha memória em reportagens publicadas anos atrás. Ah, você se lembrou do apoio americano ao 'ex-aliado' e treinado pela CIA Bin Laden? Pois é, eu também não me esqueci... é o retorno cíclico de uma odisséia infinita.

Gustavo Chacra, enviado especial do "Estadão" à região nos previne que o pior ainda está para acontecer, mesmo com aproximadamente 500 mortos palestinos! É que "(...) não teve um episódio simbólico, como Qana ou Jenin, na Operação Muro Protetor de 2002, Cisjordânia, após onda de atentados suicidas(...)"
Aguardemos o pior então!
...

No "Viralata Reloaded" leia o post: "O fracasso subiu à cabeça (ou: a Dissimulação Socialista, parte II):
- "(...) Não sei se esses congressistas sabem de onde sai o dinheiro para cobrir tantos benefícios, mas pelo visto, com certeza, eles devem ter alguma fórmula mágica que os empregadores/empresários brasileiros não tem conhecimento.
Estariam os nobres companheiros contando com o 'lucro-de-palanque' das bacias do Pré-sal?
(...)"

2 comentários:

Pedrita disse...

realmente são muito complexas as questões no oriente. vi alguns filmes de diretores dessas regiões, documentários, e todos parecem ter razão. a violência só inflama mais os lados pq no fundo ninguém parece ter razão, ou todos têm razão. muito triste.

viralata disse...

Amor, bota triste nisso! bj