17 de mar de 2009

Pérolas 'stoppardianas'

Ensaio, antes de abrir para o público, no auditório da "Folha"

Muito bem, a leitura que dirigi com a "Cia. de Ópera Seca" de "Travesties" de Tom Stoppard foi realmente um excelente exercício para testarmos o texto com o público. Na verdade foi um teste para nós mesmos, já que com exceção de mim e do Pâmio, os outros atores tiveram o texto poucos dias antes de ensaiarmos (apenas uma vez) para o encontro na "Folha".
Claro que para tudo fluir e não enfastiar a platéia dei uma 'enxugada' no texto. No pré-ensaio a leitura na íntegra deu aproximadamente 3h30 de leitura e mostrá-lo assim, ainda cru, sem encenação seria um passo para adquirir novos inimigos!

Por enquanto o meu muito obrigado ao elenco, "Folha", Gerald, produtores e a equipe do espetáculo. Entraremos agora nos meandros das leis de (des)incentivo e apostamos nossas fichas que consigueremos patrocínio para estrear no segundo semestre sem muitos percalços pela frente... toc-toc-toc!!!
...

Aos que não puderam estar presentes e também aos que ficaram curiosos envio algumas 'pequenas pérolas stoppardianas':

"Fazer as coisas entendidas por Arte não é mais considerado a real preocupação do artista. Na verdade isso é até menosprezado. Hoje em dia, um artista é alguém que faz a arte dar significado às coisas que ele faz."

"O que é um artista? De cada mil pessoas no mundo, novecentas estão dando duro, noventa estão se dando bem, nove estão fazendo o bem, e um único filho da puta sortudo é o artista."

"O que seria da Guerra de Troia se ela não tivesse sido passada adiante pelo toque de um artista? Pó."

"Sempre achei que a ironia nas camadas mais inferiores é o primeiro sinal do despertar de uma consciência social."

"Eu não fazia ideia de que os poetas se interessavam por literatura nos dias de hoje."

"(...) quanto mais à esquerda você estiver politicamente, mais burguesa eles querem que sua arte se torne."

"A curiosidade intelectual não é uma coisa tão comum a ponto de nos darmos o luxo de desencorajá-la."
...


Lembrem-se que estes são trechos de uma peça de teatro e que não, necessariamente, expressam a opinião do autor já que estas frases são ditas à personagens em réplicas e tréplicas tão saborasas quanto.

7 comentários:

Sandra disse...

É bom rir pela manhã!!!!!

viralata disse...

nem me diz... hahahaha!
Bjao Sandra e bom dia!

Glorinha disse...

Caetano...pena não consegui chegar estou certa que deve ter sido mais que belo o trabalho de vocês...
haverá outra leitura?
[[]]abraços e luzes e um cheiro de brisa procê!

Sabrina disse...

Caetano!
foi um prazer participar da leitura!!!!
seus cortes ficaram muito bons, por sinal. E o texto é incrível, necessário, urgente!!!
e que elenco, heim????rsrsrsrs

sorte aí!

beijos
Sabrina

viralata disse...

Glorinha se houver outra com certeza vc saberá, hehehe!
Sabrina amor, adorei te rever! Vamos ver como as coisas encaminham a partir de agora!!!!
Sorte tb 'jovem cineasta', beijos

Rodka disse...

Sou formado em Jornalismo, e, durante os quatro anos de curso recém-concluído, fui vítima de toda a delinquência política e cultural, todo o tipo de militância rasteira. Por isso, fiquei muito contente em ler seu texto sobre arte e política, algo para ser impresso, relido e repassado aos colegas que ainda têm um pouco de vergonha na cara.

Parabéns!

viralata disse...

Obrigado Rodka... by the way, 'vergonha na cara' é artigo raro hoje em dia!
Abraço