19 de jun de 2009

Jornalistas, agora sem diploma na parede

Caiu a exigência de diploma para jornalistas! Já não era sem tempo, a votação no Supremo Tribunal Federal foi 'massacration': 8 x 1
Faço minhas as palavras do jornalista Luiz Zanin no seu Blog no Estadão:

- "(...) Hegel já dizia que ler jornais era sua oração matinal. Ora, conheço muitos "jornalistas", diplomados e tudo, que não praticam jamais esse ato de contrição; nem pela manhã, nem ao longo do dia. Não leem nem o jornal que escrevem, não veem filmes, não vão ao teatro, não ouvem música. Só vivem em seu mundinho, como se a realidade tivesse, por si só, poder de penetrar entre as paredes de uma redação, via TV ou computador.
(...)A formação do jornalista exige dedicação integral. Não acaba nunca. Já o aprendizado da técnica jornalística se aprende em dois meses de redação - se a pessoa não for muito tapada."

10 comentários:

Sandra disse...

Faculdade para formar jornalistas é como faculdade para formar mães: não existe.

Deni disse...

queridos, desculpem, mas discordo totalmente. eu me formei em jornalismo em 91, na época, na melhor faculdade que existia no ranking, a puc de porto alegre. eu aprendi tudo na faculdade e hoje, depois de 20 anos de experiência profissional posso dizer que tenho condições de enfrentar qualquer parada. claro que a estrada molda o profissional. mas perder a obrigatoriedade do diploma é perder um direito adquirido. ser comparado pelo ministro aos cozinheiros, é uma ofensa contra uma categoria que investiga toda a corrupção do governo e do proprio STF. Sandra, mãe não é profissão. Sou mãe de três filhos e até nisso o jornalismo me ajudou. bjs a todos

Henrique Hemidio disse...

Jornalista tem q ter caráter

viralata disse...

Denise, "direito adquirido"? A obrigatoriedade do diploma foi imposta na época da ditadura para 'silenciar' aqueles jornalistas (GENIAIS) que eram contra os militares! Please, é igual diploma para ator. Claro que a Faculdade, hoje, tem uma formação diferente, mas são carreiras que não dependem do diploma. Ou se é ou não se é! E nesse caso não existe faculdade nenhuma que dê respaldo a um prodissional recem formado!
Beijos amor!
saudades,

Deni disse...

Caetano,
quem são as pessoas sem diploma que as empresas querem contratar no mercado?
foi o sindicato das empresas de rádio e tv do estado de são paulo que entrou com uma ação no mp pra ir até o stf e abrir o precedente.
estarei lá hoje à noite, ok?
quem são as pessoas?
a boa formação universitária é, sim, fundamental.

bjs, querido, estarei lá hoje à noite!

ps já que agora meu diploma não vale mais, quero fazer audição com você para um papel, ok? vou virar atriz. e também não quero estudar nada, tá bom? além do papel, é claro.

viralata disse...

Amor estamos falando de 2 coisas distintas, mercado de trabalho e diploma. E olha que conheço dezenas de jornalistas formados recentemente que deviam trabalhar em... bem deixa prá lá! Como sempre disse so um jornalista frustrado... quem sabe agora, kkkk
Qto ao seu 'emprego' numa peça minha, eu não exijo diploma mas tem de ter DRT de atriz! ahsuahusha
Love, nos vemos lá!
Beijo

Henrique Hemidio disse...

Foi legal a parada lá ontem, mr Village People... inclusive minha acompanhante te conhecia (descobri na hora isso), mas vc fugiu de nós...

viralata disse...

valeu man! Putz eu tava quase indo embora no final (tinha que preparar minha mudança do ap) mas voltei 'intimado' por uns amigos, fiquei no coquetel (champanhe e morangos... ui!) lá em cima uns 10 minutos.
Hummm, sou popular com acompanhantes?! hehehe
Abs, outras virão!

Sandra disse...

Conheci colegas cursando Jornalismo cujos textos pareciam redação de 5o ano. Quando os li, pensei: se essa pessoa cursasse Português, sairia no lucro. É diferente de um curso de Medicina ou Engenharia. Acho que a comparação com cozinheiros não foi ofensiva. Cozinheiros, jornalistas, mães e atores são pela vida.

Luiz C. Salama disse...

Quem compara é pq nao sabe o longo caminho entre fritar um ovo e ser um verdadeiro cozinheiro... eu faço redaçao e nao sou jornalista, eu faço um peixinho delicioso, mas nao sou cozinheiro.
Sou medico e estudo NO MINIMO 2 horas por dia, quando nao tem nenhum caso complicado ou congresso pela frente... estudar nao ocupa espaço, saber nao pesa.
Mas o que garante emprego (e a manutençao dele) é seriedade e dedicaçao