20 de set de 2009

Parole, parole, parole

No caderno de Esportes no "Estadão" de hoje Ugo Giorgetti é preciso no título da sua crônica dominical: "Entrevista não é para principiante" em que conta sobre a infeliz frase dita por Hélio dos Anjos, técnico do Goiás, quando perguntado se o "grupo" sentia ciúmes do jogador Fernandão. Resposta do técnico: "Homem com ciúmes de homem é viadagem. Não trabalho com homossexual."! Waall, isso é que é 'finesse'.
Sem entrar no mérito da estupidez da frase (sinceramente, dá até preguiça) o bom da crônica do Giorgetti é fazer-nos perceber que quando você se sente o 'rei da cocada' na frente de jornalistas quase sempre diz besteiras e completa:
- "(...) O que queria analisar é a armadilha que são as entrevistas (...) é sempre um momento de suprema insegurança e você quer parecer inteligente diante do jornalista..."

Foi um prazer ler as ideias claras de Nuno Ramos em duas páginas para o caderno Mais! da "Folha", também deste domingo, entrevista feita por Noemi Jaffe. Nuno é o artista plástico brasileiro que não se limita somente no terreno 'plástico' e invade a literatura, escultura e performance confundindo não só a classificação da sua obra mas também quem a interpreta, no caso os críticos. Sabendo das suas influências e admirações que incluem Paulinho da Viola, Carlos Drummond, Hélio Oiticica ou os mais óbvios Beuys e Frank Stella dá para entender perfeitamente quando ele diz:
- "(...) Na verdade, ao invés de buscar o que em nós é contemporâneo, talvez fosse mais rico procurar o que em nós é extemporâneo, deslocado no seu tempo, mas sem qualquer arcaísmo."

Me considero um cara bastante articulado (por vezes até prolixo) na defesa das minhas crenças e teses artísticas mas devo confessar que acho dificílimo 'explicar' o que faço nos palcos seja na direção, iluminação ou, embora afastado um pouco, atuação. Quando dou uma entrevista sobre o meu trabalho sempre acho que não fui claro ou que o entrevistador não entendeu o que eu quis dizer. Quando é em outro idioma então, o caldo entorna de vez, embora entenda, por exemplo inglês, não 'penso' neste idioma e em nenhum outro além do português.
Recentemente dei uma entrevista para uma revista de artes (em outubro conto mais) que traçou um perfil sobre as minhas atividades e a diferença que há na Luz que faço para óperas. Falei, falei, falei e não comuniquei absolutamente nada. Recebi um e-mail depois da paciente jornalista (a pedido do seu editor) para que eu explicasse novamente de forma 'menos abstrata'.
Difícil falar sobre Luz, acho até mais fácil 'defender' um cenário ou uma interpretação do que explicar o meu processo de criação de uma Iluminação.

Fui destaque numa publicação alemã (link aqui ao lado em C.V. by C.V.) que analisou minhas luzes para óperas e lá eu defini o meu trabalho como um "Dramaturgo da Luz". à partir daí comecei uma tese de como 'enxergo' a luz desde as influências de Appia, Craig, Meyerhold, Gerald Thomas, Bob Wilson até a "história" que ela deve contar no palco. Difícil. E abstrato também para quem não é da área, mas como já disse outras vezes Arte é difícil mesmo!

...

P.S.: Só uma pequena observação no excelente texto do Ugo Giorgetti ('na rede' só para assinantes, infelizmente) quando ele diz: "esse assunto de homossexualismo no futebol parece tão velho e gasto quanto o próprio futebol".
Concordo plenamente com ele, mas o termo correto é homossexualidade. Não custa nada lembrar que o 'ismo' traz a conotação de doença e patologia e nós, homossexuais, não somos doentes. Alguns como eu são por futebol, mas isso não tem cura, heheheh

7 comentários:

Sandra disse...

A impressão que tive é que o técnico tentou dominar o grupo na pressão.
E como explicar luz sem abstração?

Sandra disse...

Minha filhota ficou encantada com o grafitti.

Glorinha disse...

Caetano,
como explicar a luz... melhor senti-la...ahahahhahah
nesse mundo de abstrações, abstratos, abscessos, me resta procurar pelos acessos...esses me parecem sempre estar junto a Luz.
[[[]]]

Glorinha disse...

em tempo... muita Luz procê

viralata disse...

Meninas descobri que ralmente eu sou ABSTRATO e gostei!
Ah, Sandra já sei o grafitti do próximo mes, espero que sua filha tb goste.
Beijos!

Bugigangart,Campeche, disse...

Gostei do BLABLABLA[foto] quero para mim.
Você que fez??
muito bom esse post Parabéns...

abracênicos iluminados,
Rafael C. Bombazar

viralata disse...

Obrigado querido, na verdade 'recortei' um original do google images e transformei em outra coisa!
Abs