22 de fev de 2010

Entendi porque dei um tempo

"Cecily: (...) O dever único e a razão de ser da arte é fazer crítica social.
Carr: essa é uma visão interessante sobre o dever único e a razão de ser da arte, Cecily, mas possui a desvantagem de que grande parte do que chamamos "arte" não tem essa função. Além do mais, de certa maneira, essa visão estimula o apetite que satisfaz tanto a príncipes quanto plebeus.
Cecily: Mas nós vivemos numa época em que a ordem social é vista como o trabalho das forças materiais; e nos foi dado um tipo completamente novo de responsabilidade, a responsabilidade de transformar a sociedade.
Carr: Não, não, não, não minha querida! A Arte não transforma a sociedade, ela é meramente transformada por ela (...)"
Travesties - de Tom Stoppard (1º Ato)


Ilustração de Gerald Thomas para "Travesties"

Estava em outra realidade e não tinha me dado conta!
Digo com relação a produzir e dirigir um espetáculo e dar vida nova a Cia. de Ópera Seca. Não que eu desconhecesse as dificuldades cotidianas da falta de patrocínio privado ou a burocracia 'kafkiana' das leis de incentivo públicas, mas o que está me deixando estarrecido é a absoluta falta de opção de teatros em São Paulo. Alguns amigos meus já haviam cantado a bola, mas eu achava que era papo de bar, afinal assisti tantos espetáculos 'fomentados' em suas sedes novas que me sentia numa Alemanha tropical tamanha era a oferta. Pois bem, sei agora que muitos estão entregando suas sedes pois não têm como bancar aluguel e equipe sem a continuação deste fomento.

Nos últimos 12 anos que me dediquei mais a ópera assinei aqui e ali algumas iluminações para amigos que dirigiram peças estreadas, em sua grande maioria, no circuito SESC paulistano. Recusei trabalhar em várias produções menores que de uma forma ou de outra não tinham a mínima infra estrutura para realizar um trabalho decente, e nem estou falando de cachê (pois NUNCA recebi no teatro o cachê real que estipulo para os meus trabalhos) já que o que impera mesmo é a amizade e afinidade com a proposta artística.

Pois bem, depois de uma temporada de 3 meses de sucesso 'mainstream' do Théâtre du Châtelet em Paris com "The Sound of Music", arregacei as mangas e consegui fazer com que "Travesties" fosse convidado para fazer a sua estréia nacional no Festival de Teatro de Curitiba em março.
Agora quanto a estréia em São Paulo...
Recusado pelo SESC no ano passado fiquei sem pauta, dispensei o elenco e me vi obrigado a renovar os direitos autorais por mais 1 ano. Achei um outro teatro que comportaria o espetáculo mas este prorrogou uma temporada de sucesso por tempo indeterminado (sorte dos meus colegas que com competência conseguem atrair público), o estadual Sérgio Cardoso entra em sua milésima reforma, dos 8 teatros municipais apenas 3 estão na ativa os outros estão... sim em reforma!
Quanto aos particulares fora de questão, ainda não consegui um centavo de patrocínio e ainda espero a grana do seguro do meu carro roubado (Michel Fernandes já falou sobre isso aqui) para saldar os cheques pré datados que estou passando para a construção dos cenários e figurinos. Nem preciso dizer que os atores estão trabalhando por amizade... ou afinidade com a proposta artística.
Enfim o círculo continua amador e vicioso e justifica minha vontade de um novo afastamento, sei lá, vai ver estou em outra mesmo.


P.S.: "Travesties" de Tom Stoppard (tradução de Marco Antônio Pâmio) com a Cia. de Ópera Seca sob a direção e iluminação de Caetano Vilela está aprovado na Lei Rouanet (PRONAC: 096279) para captação no valor de 865 mil reais até outubro/2010. Contatos: Vlaanderen Produções Artísticas (Flávia Furtado: flavia@vlaanderen.com.br)

4 comentários:

Leni David disse...

Oi Cae!
Andei sumida, não é?
Muitas coisas aconteceram, boas e ruins, mas estou bem e com saudades de você. Hoje dei uma passadinha, mas prometo voltar. Senão, tenho uma novidade: agora tenho um novo blog somente meu, mas ainda não ficou totalmente pronto. Se quiser dar uma olhadinha, o endereço é esse:
http://lenidavid.com.br/

Também queria dizer que fiquei estarrecida com as coisas que você conta no post. Um beijo!

viralata disse...

Saudades mesmo amor. Vou te 'visitar' sim! bj

Sandra disse...

Isto é Brasil...

viralata disse...

Pois é Sandra, e isso me enche o saco, mas vamos lá! bj