23 de mar de 2010

Resumo da Ópera... Seca

CV by Lenise Pinheiro, do seu excelente Blog Cacilda

Ainda é cedo para uma avaliação mais pessoal da minha estréia na direção em "Travesties" de Tom Stoppard, com a Cia. de Ópera Seca. Fomos muito bem recebidos pelo Festival de Curitiba que nos convidou para a estréia nacional e tivemos uma ótima repercussão, espero que isto mude o panorama da nossa estréia, seja Rio de Janeiro ou São Paulo, já que estamos até agora sem teatro e patrocínio.
Abaixo, trechos em destaque de críticas, matérias de pré-estréia, fotos e videos. Clique no link para poder ler na íntegra. EVOÉ!!!

Cia. Ópera Seca promove encenação provocativa em Travesties: "(...) primeiro trabalho do grupo sem a direção de Gerald Thomas, tem muitos méritos, que ultrapassam o fato de a companhia não haver optado por formato popular para início de nova etapa de sua trajetória. Com direção e iluminação de Caetano Vilela, o espetáculo tem luz primorosa, que forma quadros sofisticados em dois ambientes: a casa de Henry Carr e a biblioteca pública da cidade. (...) Travesties leva à plateia discussão densa com ironia, confrontando ação e contradição. Ao mesmo tempo em que impõe limites aos dogmas, questionando verdades supostamente consolidadas..."

Janaina Cunha Melo - EM Cultura 2010



Crise do Drama: "(...) O cenário de "Travesties" é outro exemplo, chegou ao teatro Guaíra em dois caminhões. Um amontoado de jornais e livros, além de mesas e cadeiras, que William Pereira usou para compor um tipo de fundo grandioso, mais comum em óperas, com estética acentuada pela iluminação do diretor Caetano Vilela. Impactante, o que era fundo veio à frente do espetáculo. Especialmente na chuva de livros do primeiro ato."

Gustavo Fioratti - Folha de S.Paulo


Teatro Brasileiro foge da tradição: "(...) Outra vertente de colaborativo é aquela em que um texto dramático é reprocessado na encenação, como mostram os impactantes "Memória da Cana" de Newton Moreno, (...) ou "Travesties", de Caetano Vilela, relendo a peça de Tom Stoppard na chave da Ópera Seca."

Luiz Fernando Ramos - Folha de S.Paulo


Ópera Seca decreta sua independência com "Travesties":
"Gerald Thomas disse que não tem planos de voltar ao teatro. Caso não retorne, a perda será inestimável. Afinal, suas contribuições ao desenvolvimento do teatro contemporâneo são inegáveis, a julgar pela revalorização da noção de texto em suas encenações (...) Em todo caso, o afastamento de Thomas não inviabilizou a continuidade da Cia. de Ópera Seca, que apresentou no Festival de Curitiba a encenação de Travesties, de Tom Stoppard, assinada por Caetano Vilela."
Daniel Schenker -Jornal do Brasil/Rio de Janeiro (leia mais aqui)


Travesties, Cia. de Ópera Seca apresenta obra instigante:
"(...) Mais do que qualquer avaliação deste texto, aparentemente anárquico, de Stoppard, é necessário registrar a coragem do diretor Caetano Vilela em encenar peça com tanta referência e humor britânico (...) Quem resistiu, pode usufruir de uma montagem vibrante, repleta de ironia e de beleza visual atordoante".
Macksen Luiz - Jornal do Brasil/Rio de Janeiro (leia mais aqui!)

Texto de Stoppard motivou troca de comando na Cia.:
"(...) Gerald Thomas, fundador do grupo, passou o bastão para um "funcionário de carreira". Caetano Vilela trabalhou na Ópera Seca por três anos, como produtor, iluminador e diretor adjunto. Em 2002, saiu para se dedicar à ópera clássica em Manaus. No ano passado, comprou os direitos do texto de Tom Stoppard e, instigado por Thomas, resolveu montar o espetáculo com a Cia. de Ópera Seca. Pela primeira vez, em 25 anos, a companhia atuou sem a direção de Thomas."
Roberto Moreno - Uol (leia mais aqui!)

Com Stoppard mas sem Thomas:
"(...) Mas não vou mudar meu estilo de direção por causa da companhia", diz Vilela. "Entrei por uma afinidade imensa com o Gerald: estética, a paixão pela ópera, a paixão por Richard Wagner...""
Gazeta do Povo - Curitiba (leia mais aqui!)

Sem Gerald Thomas Cia. de Ópera Seca encena peça de Tom Stoppard:
"(...) a começar pelo título ("travestis", em inglês), "Travesties" até agora não conseguiu patrocínio nem verbas de incentivo fiscal. Segundo Vilela, ninguém da equipe recebeu um tostão até agora: todos estão trabalhando de graça, dos atores ao cenógrafo e figurinistas. A ideia é usar a janela de Curitiba para atrair apoiadores. "É um investimento. Depois de estrear vamos ver os frutos que iremos colher.""
Marco Tomazzoni - Portal IG (leia mais aqui!)

Relação entre Arte e Política é tratada com bom humor em Travesties:
"(...) O tema e a duração talvez possam ser vistos como problemas principalmente para os menos familiarizados com o teatro ou simplesmente não tão assíduos frequentadores das aulas de História. É justamente por esse motivo que merecem ainda mais destaque a iluminação de Caetano Vilela e o trabalho dos atores Germano Melo, Roney Facchini, Rodrigo López, Manoel Candeias, Roberto Borges, Fabiana Gugli, Patrícia Dinely e Anette Naimam que prendem a atenção do público do início ao fim. (...) Ao público só restou aplaudir o primeiro trabalho da Companhia de Ópera Seca sem a direção de Gerald Thomas."
Vitor Geron - Gazeta do Povo/Curitiba (leia mais aqui!)

Montagem beira o teatro do absurdo de Beckett:
"(...) A base da encenação ainda traz referências de óperas, com cenário de William Pereira, já habituado ao gênero como cenógrafo e diretor. Talvez, no entanto, com um pouco mais de liberdade. A referência do texto a uma biblioteca em cena, logo no primeiro ato da peça, foi representada por uma chuva de livros. Seiscentas unidades, no total, caem ao palco para depois continuarem em cena, só que suspensas por fios. O diretor Vilela também tem sua bagagem abastecida no mundo da ópera..."
Gustavo Fioratti - Folha de S.Paulo (leia mais aqui!)

P.S.:
Em breve divulgo algumas fotos do espetáculo feitas no calor da última apresentação.

12 comentários:

Frederico disse...

Ótimas notícias!! Agora não vejo a hora de chegar São Paulo e Rio de Janeiro.

Deni disse...

Uauauauaua! Bravo!!! bjs

Penetralia disse...

Oi, Caetano. Vi a crítica do Roberto Moreno e até comentei-a no blog do Cláudio Martins.

As pessoas não pode ficar tentadas a achar que vc colocou Tzara, Joyce e Lênin históricos para papear, o que com certeza sairia briga! São travesties, no sentido de fantasias, né?

Vc selecionou uma passagem boa do Moreno. Eu fiquei pensando: eu com tanta vontade de ver esse espetáculo e o outro vai e acha "indecifrável"! Então, para quê viajar até o festival? Ele está lá é para decifrar, gente!

Abs do Lúcio Jr.

viralata disse...

hauhsuah Lúcio, nem é tão indecifrável assim, vc terá oportunidade de assistir, pode crer!
ABs

Gerald Thomas disse...

Legal esses trechos de criticas/materias.
Coloca mais.

LOVE
G

viralata disse...

@gerald, conforme for saindo vou atualizando! bj

EZIR disse...

HELLO, SR. NOVO DIRETOR E MAGO DAS LUZES!!! Estava revendo tudo HOJE lá no seu FACEBOOK..para ATUALIZAR a CULTURA DE TUDO desta REDE IMENSA DE ENTERPRISES que temos estado em contato...bem , e porque queria saber de suas NOVAS. Simplesmente fiquei ESTUPEFATA com a CRÍTICA DE ALTA QUALIDADE E VISÃO DE TEATRO E DE VALOR E TUDO do LUCIANNO MAZA .As últimas críticas da FOLHA DE SÃO PAULO foram BEM MADURAS E PROFISSIONAIS mesmo, sem aquelas interferências da MÁ-DISPOSIÇÃO de CRÍTICOS como o ROBERTO MORENO E OUTROS. Vou continuar conferindo. UM BEIJO, com todas as HONRAS, de mim Ezir Miriam.

ahhh!FIQUEI AMIGA de um TEATRO parece q da NORUEGA, tenho q traduzir p ver. GREAT GOODBYYEEE ,Ezir

Revistacidadesol disse...

Gerald: o Ismael Canapelle trabalhou em que peça sua? Caetano, se souber me dê o retorno. Vi ele lincado aí. Ele está com filme e um livro que tem tudo a ver...

Abs do Lúcio Jr.

viralata disse...

@lúcio, o Ismael viajou com a Cia. uns 12 anos atrás e saiu assim que eu entrei, mas ele não chegou a estrear nada por aqui não. Realmente ele tá com um lindo filme que vai estrear baseado num livro dele. Já vi na Mostra de Cinema e recomendo, é tocante!
abs

Revistacidadesol disse...

Oi, obrigado Caetano! É que vi uma matéria sobre o filme no caderno Pensar do Estado de Minas que dizia que Ismael foi levado ao teatro por Gerald Thomas.

O trailer do filme Os Famosos e os Duendes da Morte está no meu blog: revistacidadesol.blogspot.com

Abs do Lúcio Jr.

Revistacidadesol disse...

Muito engraçados os títulos das matérias.

Só faltou um assim: "Thomas, sim, mas com Travesties, não".

viralata disse...

hahaha Lucio, assim seria mais espirituoso! mas pelo visto terei de lidar com isso sempre que fizer algo com a Cia.
Normal né, afinal foram 25 anos com GT!!!
Abs