6 de jun de 2010

"Ópera Aberta", mais uma maluquice pra minha lista

Encerrou sábado passado mais uma "Oferenda Musical", painel da música de Câmara produzida pela Arte Matriz (Eser Menezes e Giane Martins) no Teatro S.Pedro/SP com direção artística do maestro Alex Klein. Nesta terceira edição 'conviveram pacificamente' desde Mozart, Klughardt, Brahms, Beethoven até o experimentalismo de George Crumb (musicando um incrível poema de Lorca) e Gilberto Mendes com uma inacreditável "Ópera Aberta: para Soprano e Halterofilista" que dirigi e iluminei e já que era para ser experimental também dei a minha contribuição concebendo uma nova versão do que foi proposto na década de 70.

No ano passado dirigi "A História do Soldado"/Stravinski (dá uma olhada aqui e aqui) e quando o maestro Klein me deu as opções do que eu gostaria de fazer, nem pensei duas vezes ao me deparar com o título da obra de Mendes (ao lado, na platéia depois da apresentação). Surpresa maior foi saber que na verdade se tratava mais de uma performance do que uma ópera propriamente escrita, já que não temos musicos e muito menos MUSICA!!!!
Cada encenador dá a sua versão do que pode acontecer em cena e também não há um tempo determinado de duração, apenas que dure o "tempo necessário para que tudo ocorra sem deixar cair o interesse do expectador" como explica Mendes num roteiro escrito em 1976, abaixo:

Agora já que se trata de uma criação experimental mando abaixo uma sequência do que se viu (espetáculo) e o que não se viu (bastidores) num ensaio assinado por Andres Costa, enjoy:




Simone Foltran foi a "Soprano"

Valério dos Santos foi o "Halterofilista"

Dan Nakagawa foi o meu precioso assistente de direção

E completando o meu elenco, todo o meu carinho à dedicação dos meus atores: Christian Barros, Erica Negreiros, Felipe Ramos, Flávia Meyer, Lucas Pchara, Murilo de Paula, Priscilla Maia, Vanessa Vascouto
E também aos meus eternos Chris Aizner (cenógrafo e make up) e Olintho Malaquias (figurinos) e seus respectivos assistentes, Thiago Roque e Camila Fogaça.
Um carinho especial ao meu pupilo assistente de luz Wagner Antônio.